Amarante, Barcelos e Braga entre os municípios que criaram Rede Portuguesa das Cidades Criativas da UNESCO

Foto: Câmara Municipal de Amarante

Amarante (Música), Barcelos (Artesanato e Artes Populares), Braga (Media Arts), Idanha-a-Nova (Música) e Óbidos (Literatura) são cidades criativas da UNESCO e estabeleceram na quarta-feira um Protocolo de Colaboração com vista à criação da Rede Portuguesa das Cidades Criativas da UNESCO.

O objectivo é “fortalecer a cooperação entre si num plano nacional, comprometendo-se a promover um conjunto de atividades a longo prazo”, refere a autarquia de Amarante em comunicado. Entre elas, prevê-se o desenvolvimento de um evento conjunto para celebração da criatividade, a colaboração na organização de uma Conferência Nacional Bienal sobre Cidades Criativas, o reforço de parcerias ou projetos no contexto das Cidades Criativas que envolvam a comunidade académica e a procura de fundos nacionais e internacionais para desenvolvimento de projetos conjuntos.

A assinatura do protocolo decorreu no Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Minho (UM). Após a cerimónia, decorreu a primeira reunião dos Conselhos Estratégico e Geral da rede, onde foi aprovado o plano de ação para os próximos dois anos.

Amarante foi a cidade nomeada para assumir a coordenação geral do Secretariado Executivo durante este período e Barcelos assumiu a subcoordenação do mesmo.

A Rede de Cidades Criativas da UNESCO foi criada em 2004 para promover internacionalmente a cooperação com e entre cidades que identificaram a criatividade como um fator estratégico no seu desenvolvimento. Há, atualmente, 180 Cidades Criativas em todo o mundo, cinco delas portuguesas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta