Monção e Melgaço: Associação quer criar rede de quintas vitícolas para fomentar turismo sustentável

Foto: Clube de Produtores de Monovarietais de Vinho Verde

O Clube de Produtores de Monovarietais de Vinho Verde quer criar uma rede de quintas vitícolas para incentivar o turismo sustentável.

O protejo é apresentado por “ENOTOUR- Promoção do Turismo Sustentável no Território dos Vinhos Verdes e do Alvarinho de Monção e Melgaço” e foi submetido recentemente a uma candidatura ao programa Valorizar, no âmbito do Portugal 2020 e está em fase de análise.

A iniciativa prevê criar uma rede e uma marca de quintas vitícolas que promovam um turismo direcionado para a sustentabilidade ambiental, social e económica e, ao mesmo tempo, promover o turismo na região de Monção e Melgaço, territórios-alvo nesta primeira fase do projeto, informa um comunicado.

Como funciona?

Ora, o “ENOTOUR” é como um casamento entre o enoturismo, o turismo sustentável e as tradições culturais e gastronómicas de Monção, Melgaço e do vinho verde. O Clube de Produtores tem intenção de criar uma marca “ecofriendly”, que será atribuída aos produtores/quintas da região, com o propósito de credibilizar e promover as boas práticas ambientais que estão a ser aplicadas nas diversas quintas e adegas da região.

Fazem parte desta proposta ainda a criação de uma plataforma digital colaborativa que reunirá conteúdos em realidade aumentada, aliando a tecnologia à tradição, história e cultura local. A aposta na divulgação digital contemplará diferentes informações, possibilitando ao visitante uma experiência enriquecedora: O acesso a informações de cariz patrimonial e ambiental das diversas quintas, assim como a pegada ecológica, as medidas implementadas e a implementar, os objetivos ambientais e informações sobre os volumes de produção.

Efeitos na economia

Esta plataforma, segundo os mentores, irá dinamizar toda a economia, resultado do aumento do número de turistas, “motivados não só pela qualidade dos vinhos, mas também pela componente ambiental, que, ao visitarem as quintas ou adegas, acabam por explorar a região”.

ENOTOUR noutras regiões 

O projeto ENOTOUR não apresenta qualquer restrição temporal ou territorial e, por isso, existe a possibilidade de, a longo prazo, ser implementado num diferente território vitícola ou alargá-lo a outros produtores interessados, que podem surgir das mais variadas áreas, desde hotéis, restaurantes, operadores turísticos, entidades promotoras do território a atuarem no Parque Nacional da Peneda-Gerês, associações, produtores de artesanato local, entre outros, com o objetivo de proporcionar uma oferta turística mais completa e diversificada.

Pós-financiamento do ENOTOUR

No período pós-financiamento o “ENOTOUR – Promoção do Turismo Sustentável no Território dos Vinhos Verdes e do Alvarinho de Monção e Melgaço” será financiado principalmente através do pagamento de quotas anuais. Os produtores ou as associações que se mostrem interessadas em colaborar com esta plataforma tornar-se-ão assim sócios do projeto.

O Clube de Produtores de Monovarietais de Vinho Verde (VVCPM)

O VVCPM foi fundado em 2018, por iniciativa dos sócios gerentes da Quinta de Soalheiro, com o objetivo de fomentar o enoturismo, a produção de uvas e de vinho de qualidade e a inovação e o desenvolvimento.

Apresenta-se como uma associação que pretende divulgar as potencialidades das diferentes sub-regiões do vinho verde, criando parcerias que permitam aumentar as visitas ao território e a melhoria do turismo das vinhas, incentivando o desenvolvimento económico mediante uma oferta turística integrada, fundada na qualidade do território, dos produtos e dos serviços.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta