Concurso para viagem de 300 quilómetros no Ártico junta aventureiros do norte de Portugal

Foto: James Padolsey/Unsplash

Neve, frio e aventura. São estes os pontos de partida do “Fjällräven Polar”, um concurso mundial que vai permitir uma viagem de trenó puxado por cães, numa distância de cerca de 300 quilómetros no Ártico, entre a Noruega e a Suécia, entre 30 de março e 5 de abril de 2020. De Portugal, seis pessoas estão a concorrer (até à publicação deste artigo), sendo três deles do norte do país.

300 quilómetros no Ártico. Quem se atreve?

Estes três candidatos são do Porto, de Chaves e de Braga, mas têm algo em comum: Vontade de visitar o Ártico e gosto pela aventura.

Foto: Cláudia Simões

Cláudia Simões, de 37 anos, é do Porto e é professora de Filosofia. Sempre gostou de fazer caminhadas pela montanha, floresta, aldeias históricas e lugares por explorar. Todos os fins de semana vai caminhar para uma serra com o seu companheiro e, mais recentemente, com a filha ainda pequena.

Uma das situações mais marcantes que guarda desses percursos está relacionada com uma vez que foi até ao Gerês com o companheiro, mas calcularam mal o tempo, distraindo-se “com as paisagens e as fotografias” e, quando chegaram ao abrigo de pastores onde iam pernoitar, “já tinha caído a noite” e tiveram de passar “por terrenos pouco recomendados”, mas conseguiram chegar “sãos e salvos”.

Foto: Cláudia Simões

Confessa que fica “fascinada” a ver documentários sobre a corrida do Alasca e que, há uns meses, num festival de cinema de aventura, assistiu ao testemunho do vencedor de 2019 deste concurso. “Achei aquilo fantástico: Uma corrida através de um deserto gelado, dos lagos gelados e existe a possibilidade de conseguirmos assistir à aurora boreal. Achei fantástica a oportunidade de conseguir ir numa expedição ao Ártico, então, surgiu essa ideia de ir concorrer, junto com outros portugueses”, descreve ao Jornal Referência, acrescentando que, nas várias edições, houve três portugueses que conseguiram apurar-se, por isso, “gostava de ser a quarta”.

“Estou sempre disposta a visitas ao Ártico, sempre gostei. Nunca tive oportunidade de ir e esta é uma oportunidade que eu quis agarrar”, sublinha.

Foto: Pedro Mendes

Pedro Mendes, de Chaves, conta que gosta de viajar sozinho e que é “muito interessado pela Escandinávia e pela Finlândia”, além de já ter visitado a Suécia e a Dinamarca, para onde planeia mudar-se futuramente.

Devido a esses interesses, acabou por ter conhecimento do concurso através do Facebook e pensou que seria “uma oportunidade bastante fixe”, sendo inclusive uma viagem que tem planeada fazer, “de qualquer modo”. “Então, achei que seria interessante, que seria uma boa oportunidade tentar a minha sorte”, acrescenta.

Foto: Pedro Mendes

Atualmente, com 25 anos, vive na Holanda, onde trabalha com propriedade intelectual numa empresa que fabrica tubos para a indústria de energia, mas revela também que já visitou a Lapónia (Finlândia) e já passou pelo Círculo Polar Ártico.

Foto: Luís Miguel Braga

Para Luís Miguel Braga, de 35 anos, o desporto de aventura, como o montanhismo, o btt e o trail running, surgem como um “escape ao trabalho no dia a dia”, pois trabalha num escritório como informático na sua própria startup.

Acredita que este concurso é “uma oportunidade de explorar uma zona que, provavelmente, de outra maneira era quase impossível”. “Tenho bastante interesse na zona polar e mesmo toda aquela parte da floresta boreal na Suécia é uma zona que quero conhecer”, conta.

Já conhecia e seguia a marca Fjällräven há vários anos, “não só a nível comercial, mas também social”, pela “filosofia ambiental e de sustentabilidade” e pela campanha que esta empresa realizou para preservar as raposas do Ártico.

Foto: Luís Miguel Braga

Do Mediterrâneo ao Ártico: As condições

Durante a expedição, poderão estar até 30 graus negativos, o que Cláudia Simões considera que é “um grande obstáculo, principalmente para quem é do Mediterrâneo e ainda se está a habituar a estas temperaturas”, mas “faz parte da aventura e da dificuldade”.

A organização vai facultar o equipamento e lá os 24 participantes vencedores vão abrigar-se em tendas. Uma parte da companhia e da ajuda será também dos cerca de 200 huskies do Alasca e da Sibéria que vão puxar o trenó.

A seleção dos vencedores é feita através da votação online e pela decisão do júri, sendo escolhidos dois candidatos por região do mundo. Portugal pertence à região do Mediterrâneo.

As votações estão abertas até à próxima quinta-feira e os vencedores são anunciados na sexta-feira.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta