Carnaval de Podence integra Património Cultural Imaterial da Humanidade

Foto: Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros

Foi aprovada, na quinta-feira, a candidatura das “Festas de Inverno: Carnaval de Podence” e inscrita na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade.

A decisão, tomada durante a 14.ª Reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial que decorre em Bogotá (Colômbia) até sábado, “enche de orgulho o município de Macedo de Cavaleiros e todo o país”, assegurou o presidente da Câmara Municipal, Benjamim Rodrigues, citado numa nota da autarquia.

O autarca referiu ainda que “o mérito de todo o trabalho é de quem não deixou morrer uma tradição secular em Podence e a quem compilou todas as informações para uma candidatura que a própria UNESCO veio reconhecer como exemplar”. “É o início de uma responsabilidade maior que teremos de assumir a partir de hoje. Com a classificação do Entrudo Chocalheiro como Património da Humanidade tudo devemos fazer para preservar e fortalecer uma tradição única no nosso território, mantendo aquela que é a essência das festividades de Inverno”, continuou.

Benjamim Rodrigues revela que “há vários projetos em mente e a própria Associação dos Caretos de Podence já desafiou o arquiteto Souto Moura para a elaboração de um projeto de arranjo urbanístico da rua onde tudo acontece e do largo da Queima do Entrudo, bem como de um Museu do Careto”.

No domingo à tarde, vai ser preparada uma receção aos Caretos de Podence nos Paços do Concelho.

Durante esta festividade, que decorre em Trás-os-Montes e está associada à celebração do fim do inverno e à chegada da primavera, os Caretos, vestidos com trajes cobertos com franjas coloridas de lã e ocultos sob máscaras de estanho ou couro, percorrem as ruas de Podence (Macedo de Cavaleiros), fazendo soar os seus chocalhos e entrando nas casas dos habitantes da aldeia.

Inicialmente, funcionava como um “rito de passagem para os homens”, escreve o site da Comissão Nacional da UNESCO, mas, atualmente, está “reajustado ao seu contexto contemporâneo”.

Este passa a ser o oitavo elemento português inscrito nas Listas da Convenção da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, tendo sido, neste caso, a candidatura coordenada pelo município de Macedo de Cavaleiros.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta