Porto: Estudo sobre plumagem das aves é capa da “Science”

Foto: Science Magazine

Estudo sobre dicromatismo sexual nas aves, levado a cabo por uma equipa da Universidade do Porto, foi capa da “Science”, uma das revistas científicas mais conceituadas e com mais impacto do mundo, na edição desta sexta-feira.

Pela primeira vez, um artigo assinado por correspondentes da U. Porto teve destaque internacional na capa da “Science“, que, a par da “Nature”, é considerada a revista de caráter científico mais prestigiada do mundo. 

Uma equipa integrada pelo CIBIO-InBIO (Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, da Universidade do Porto) e por investigadores da Universidade de Coimbra, da Universidade de Washington e da Universidade de Auburn liderou um estudo que, segundo o artigo publicado pelo Notícias Universidade do Porto, “descreve, pela primeira vez, o gene responsável pelas diferenças de cor entre machos e fêmeas nas aves”.

O Estudo 

A plumagem das aves foi, durante muito tempo, considerada um fenómeno pouco (ou nada) compreendido pelo ser humano. Com esta investigação, a equipa veio trazer um novo conhecimento, que ajuda a melhor definir o dicromatismo sexual – quando os sexos de uma mesma espécie diferem na coloração das suas penas. 

Segundo o artigo da “Science”, através da “combinação de cruzamentos genéticos, mapeamento genómico, transcriptómica e análises comparativas”, os autores deste estudo vieram demonstrar que “a trans-regulação do gene de processamento de carotenoides BCO2 está envolvida no dicromatismo sexual”. 

Para este estudo recorreram a uma particular raça de canários – os canários Mosaicos – que, segundo o artigo do Notícias UP, acima referenciado, “herdaram dos seus ancestrais um gene responsável pela produção de penas vermelhas”, informação obtida através de uma descoberta realizada em 2016, levada a cabo pelo investigador da CIBIO-InBIO Miguel Carneiro, que agora liderou este estudo acerca do dicromatismo.  

“Os canários Mosaico proporcionaram-nos uma oportunidade única para encontrar os genes responsáveis pelo dimorfismo sexual, porque podemos criar canários nos quais a única diferença entre eles é o facto de terem dicromatismo sexual ou não”, explica o investigador, citado no Notícias UP. Esta equipa descobriu que no ADN destes animais apenas existia uma única região que divergia, comparativamente ao ADN de outras espécies de canários, o que o investigador apelida como “surpreendente”.  

Ricardo Jorge Lopes, um dos primeiros autores do artigo, fotógrafo que registou o momento que fez a capa da “Science” e curador de aves no Museu de História Natural e da Ciência da U. Porto (MHNC-UP), também foi citado no artigo do Notícias UP, em que revela que “a diferença entre os machos com cores vivas e as fêmeas com cores esbatidas é o resultado da quantidade de pigmentos que são depositados nas penas”, pigmentos esses (vermelhos e amarelos) que são degradados por uma enzima, codificada por este mesmo gene; o que pode “dar origem a machos mais coloridos e fêmeas com menos cor”.  

Para os investigadores esta descoberta veio demonstrar que este comportamento genético se pode verificar também em outras espécies de aves da mesma família, fazendo crer que este pode ser um mecanismo comum para o dicromatismo sexual em aves.

“Science Magazine”, uma revista de renome 

Atualmente, conta com mais de 500 mil leitores e é designada como uma das revistas mais influentes e com mais impacto do mundo. No entanto, é também uma das mais antigas, com a sua primeira publicação em 1880, pela American Association for the Advancement of Science (AAAS). 

Esta revista é conhecida pelas suas publicações da área científica, tendo como objetivo principal dar a conhecer ao mundo as mais importantes descobertas nos diferentes campos do conhecimento, como foi o caso da observação da fusão de estrelas de neutrons em ondas gravitacionais, que chegou a ganhar o prémio de Descoberta do Ano em 2017.  

No entanto, a concorrência para publicar nesta revista é tanta que só são publicados menos de 7% dos artigos submetidos, refere o Notícias UP. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta