Miguel Pinheiro: O jovem portuense que se destacou no “Got Talent Portugal” com o seu solo de contemporâneo

Foto: DR

O jovem bailarino portuense Miguel Pinheiro domina estilos de dança como o ballet e o flamenco, mas foi a solo na dança contemporânea que marcou a diferença e decidiu expressar a sua paixão pela dança no concurso “Got Talent Portugal”, conseguindo um lugar na final. Com apenas 20 anos, Miguel falou ao Jornal Referência do seu percurso no mundo da dança e revelou como foi a sua experiência no programa televisivo da RTP1.

Foi aos nove anos que o jovem Miguel ingressou no mundo da dança através do Grupo Regional de Moreira da Maia, local onde reside até hoje. Neste grupo regional viveu a arte e desenvolveu o seu amor pela dança visto que a sua avó, pais e tios sempre dançaram e, por isso, a dança e a arte estiveram desde sempre na sua vida. Miguel refere que sempre adorou dançar e quando pisava um palco sentia-se “muito bem”, no entanto, foi apenas com 17 anos que percebeu que este, que seria até ao momento um simples hobbie, se tornara no seu maior sonho.

Assim, decidiu abraçar o mundo das artes inscrevendo-se na Academia de Dança de Matosinhos. Miguel Pinheiro concentra-se hoje na dança contemporânea e no ballet e admite ter demorado a revelar a sua paixão devido a alguma insegurança e ao preconceito que existe em volta de bailarinos rapazes.

Foto: DR

Contudo, participar num concurso de talentos televisivos era já algo desejado por si e o “Got Talent” foi a oportunidade perfeita para expressar o seu talento e amor pela dança, no entanto, a força dos seus professores da Academia de Dança de Matosinhos foi crucial para esta decisão. Este ano, o jovem maiato já tinha conquistado o segundo lugar em contemporâneo num concurso internacional em Berlim (TANZOLYMP 2020) com o solo que apresentou na sua primeira audição no “Got Talent Portugal”.

O portuense revelou ao Jornal Referência que a sua participação no programa foi um sonho realizado por conseguir “fazer parte de um concurso de talentos em televisão e perceber todo o processo das audições até às galas”.

Para Miguel, as amizades que desenvolveu durante o seu percurso no concurso foram um ponto bastante positivo e considera que esta oportunidade que lhe foi dada irá ser “essencial para o futuro como bailarino profissional.” Futuramente, Miguel deseja ser um bailarino profissional de sucesso e conjugar sempre o sentimento da dança contemporânea com a técnica do clássico.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta