Isolamento e saúde psicológica: Tudo o que precisa de saber

Foto: Erik Mclean/Unsplash

Após o fim do ano 2020 e início do ano 2021 os números de novos casos de infeção e de morte por COVID-19 começaram a aumentar exponencialmente, o que gerou um preocupante alerta nacional. O governo viu-se obrigado a fechar tudo e, neste momento, Portugal encontra-se no segundo confinamento oficial.

Inicialmente, as escolas ainda estavam abertas, mas, recentemente, as medidas foram ajustadas e foi feito um novo reforço das medidas do confinamento com o principal objetivo da redução de contágios. Neste momento, estão abertos apenas negócios que são essenciais para que se consigam ter salvaguardadas as necessidades básicas.

Perante a situação de isolamento, são cada vez mais as pessoas que trabalham a partir de casa, outras ficam totalmente sem poder trabalhar devido ao fecho das empresas e estabelecimentos e muitas são as que estão a viver uma situação angustiante de desemprego. Este fator fomenta a preocupação e a ansiedade de viver o dia de amanhã.

Nem sempre é fácil lidar com algumas situações que são apresentadas sem poder sair e espairecer a mente. Foi comprovado que a sensação de perda de controlo suscita emoções negativas como a preocupação, o medo e a incerteza. Após o aparecimento do vírus COVID-19 e o desenvolvimento de toda a pandemia que está prestes a atingir um ano de duração, aumentaram os casos de problemas mentais. A preocupação pela saúde mental é elevada, sendo que é cada vez mais importante perceber que há um conjunto de recursos e de contactos (alguns disponíveis no fim deste artigo) aos quais podem recorrer.

Desta forma, a Ordem dos Psicólogos, em conjunto com a Direção-Geral da Saúde, aconselha dez práticas para manter uma boa saúde psicológica ao longo da pandemia e do isolamento, nomeadamente:

  1. Lembre-se que, nesta situação, é natural sentir angústia, tristeza, medo, incerteza, frustração, cansaço e desgaste;
  2. Esteja atento e aceite as suas emoções, sentimentos e pensamentos. O humor e motivação podem flutuar – Uns dias serão melhores que outros;
  3. Acredite na sua capacidade para lidar com este desafio. Use ou adapte estratégias que já utilizou para lidar com situações difíceis na sua vida;
  4. Viva um dia de cada vez. Concentre-se no aqui e agora e naquilo que pode controlar. Por exemplo, em realizar atividades diversificadas que sejam tranquilizadoras e lhe deem prazer;
  5. Reforce as suas relações. É tempo de reduzir a proximidade física, mas aumentar a nossa conexão social e relacional com os outros;
  6. Partilhe o que sente. Falar com familiares e amigos sobre como se sente e como se está a experienciar a situação pode ajudar a sentir-se melhor;
  7. Reforce os seus comportamentos pró-saúde e pró-sociais. O comportamento, empatia e solidariedade depende não só da saúde, mas também da saúde das pessoas de quem se gosta. Mantenha o contacto com familiares e amigos que possam estar em situações de maior vulnerabilidade;
  8. Estabeleça expectativas e objetivos realistas para este período. Respeite o seu ritmo e as suas necessidades, dia a dia. Seja flexível e aceite que fará o melhor que puder com as circunstâncias que tem;
  9. Reduza a consulta de informação sobre a pandemia para apenas duas vezes por dia e em fontes de informação credíveis e atualizadas. Se possível, estabeleça períodos sem telefone, televisão ou outros ecrãs;
  10. Escolha alimentos saudáveis, mantenha atividade física e bons hábitos de sono. Um estilo de vida saudável melhora o humor e a saúde.

Estas são as sugestões para uma vida mais saudável, perante a situação pandémica. No entanto, é importante saber reconhecer quando alguém precisa de ajuda extra e mais específica. Para isso, a Direção-Geral da Saúde disponibiliza as “Linhas de Crise” para um acompanhamento profissional e preciso. Se necessitar ou se souber de alguém que necessite de ajuda psicológica, não hesite em contactar as linhas de apoio abaixo referidas e também neste anterior artigo.

  • SOS VOZ AMIGA

Horário: 16:00 – 24:00
Contacto Telefónico: 213 544 545 | 912 802 669 | 963 524 660
Linha Verde gratuita: 800 209 899 (21:00 – 24:00)

  • CONVERSA AMIGA

Horário: 15:00 – 22:00
Contacto Telefónico: 808 237 327 | 210 027 159

  • VOZES AMIGAS DE ESPERANÇA DE PORTUGAL

Horário: 16:00 – 22:00
Contacto Telefónico: 222 030 707

  • TELEFONE DA AMIZADE  

Horário: 16:00 – 23:00
Contacto Telefónico: 222 080 707

  • VOZ DE APOIO

Horário: 21:00 – 24:00
Contacto Telefónico: 225 506 070

Para mais informações sobre saúde psicológica pode visitar este site.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta