Amigo de Sócrates regressa a casa com pulseira eletrónica

O empresário Carlos Santos Silva, amigo do ex-primeiro-ministro José Sócrates e também arguido no caso Marquês, regressou ao final da tarde desta terça-feira a casa, em Lisboa, onde ficará vigiado com pulseira eletrónica enquanto decorre o inquérito.

A alteração da medida de coação acontece seis meses após o empresário ser colocado em prisão preventiva na cadeia anexa da Polícia Judiciária, em Lisboa e na altura em que se aplicava a revisão da decisão.

Já quanto a Sócrates, a alteração da medida de coação ainda não se verificou. “A última revisão teve lugar em 9 de março, pelo que ainda não decorreu o prazo legal para nova revisão”, disse o Conselho Superior da Magistratura.
Carlos Santos Silva foi detido a 20 de novembro, na véspera da detenção do antigo primeiro-ministro. Ambos ficaram presos preventivamente a partir de 24 de novembro, por suspeitas de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção.

Deixe um comentário

error: Content is protected!