Um rali visto pelo Porto

A Invicta recebeu esta sexta-feira o Rali de Portugal, que juntou milhares de curiosos e amantes do desporto motorizado e percorreu as ruas da baixa. O belga Neuville, da Hyundai, saiu vencedor.

Sete da tarde. Coração do Porto. Cerca de 80 mil pessoas juntaram-se para ver o “Porto Street Stage”. Depois da passagem por Lousada na quinta-feira e Ponte de Lima, Caminha e Viana do Castelo esta sexta, foi a vez da Invicta.

A 50ª edição do Rali de Portugal desta sexta-feira começou junto aos Aliados e terminou perto da Ribeira. Foram quase dois quilómetros de percurso feitos em duas classificativas espetáculo. Antes da prova, também passaram pelo troço carros de rali de outros tempos.

De olhos colados nos carros que corriam quase à velocidade da luz e deixavam o seu rasto com o barulho característico, valia de tudo para ter a melhor vista para a pista. Escadotes, árvores, postes e ecrãs gigantes. Tudo servia para ver os ases do volante. As crianças ficavam nos ombros dos pais para verem, alguns pela primeira vez, os carros de rali. Nem o calor afastou as pessoas que se empoleiravam também nas grades para ver os carros a passar.

No ar, viam-se os braços dos que queriam registar o momento com selfies, vídeos e fotografias, mas também um helicóptero que rondava a zona.

O Porto parou para ver o Rali. Os funcionários da Câmara tiveram tolerância de ponto, as ruas da baixa estavam fechadas e a estação de metro dos Aliados fechada. No centro da Avenida dos Aliados, os comerciantes de pipocas, bebidas, cachorros e camisolas do Rali aproveitaram o dia para fazerem negócio.

A luta contra o cronómetro no segundo dia de prova foi vencida pelo belga Thierry Neuville (Hyundai i20 WRC), por 0,1 segundos a menos que o tricampeão do mundo de ralis, Sébastien Ogier (Volkswagen Polo) e Andreas Mikkelsen (Volkswagen Polo) por 0,3 segundos.

O atual líder do Rali de Portugal, Kris Meeke (Citroen) ficou apenas em quinto, perdendo 1,5 segundos para Neuville.

O piloto finlandês, vencedor do Rali de Portugal 2015, ficou sem direção assistida no Volkswagen Polo WRC e perdeu quase oito segundos em cada uma das classificativas.

Este sábado as provas continuaram em Baião, Marão e Amarante. Domingo vai ser o último dia de prova, a quinta, que termina em Fafe, depois de passar por Vieira do Minho.

Rali de Portugal 2016

Ana Regina Ramos e Hugo Pinto

Deixe um comentário

error: Content is protected!