27º Jornada da I Liga: Polémica com polémica dá empate!

Esta jornada foi, durante toda a semana, intitulada como a jornada do título. Se o foi, saber-se-á em maio apenas. Por agora, sabe-se que matematicamente ainda é possível para os três grandes. Mas houve um ingrediente, pouco saboroso, que não faltou – a polémica. Instalada para ficar, ver-se-á até onde chega.

 

Sexta-feira, 31 de Março de 2017: Chaves 1 – 0 Paços de Ferreira

A 27ª jornada foi inaugurada em Chaves, com a equipa da casa a receber e vencer o Paços de Ferreira, por 1-0. Gegé foi o autor do único golo da partida, no entanto, não acertou na baliza certa, marcando um autogolo, que acabou por ser decisivo.

Os flavienses tiveram as melhores oportunidades de golo, mas não conseguiram em nenhum momento concretizá-las, até que, aos 41 minutos, uma infelicidade da equipa pacense deu a vitória aos pupilos de Ricardo Soares.

Na segunda parte, a equipa forasteira assumiu o jogo, mas teve muitas dificuldades para contrariar a boa organização da equipa da casa que defendeu a vantagem mínima com grande segurança.

Com este resultado, o Chaves voltou a vencer quatro jogos depois e subiu ao oitavo lugar, já o Paços de Ferreira manteve a 13ª posição, com 27 pontos.

Nacional 1 – 2 Vitória de Guimarães

O jogo entre o Nacional e o Vitória de Guimarães teve de tudo: emoções, golos e muita polémica ao cair o pano.

A equipa de Pedro Martins apresentou-se com algumas baixas, já a pensar no jogo de terça-feira com o Chaves para a Taça de Portugal. No entanto, isso não foi um entrave, uma vez que os vimaranense inauguraram o marcador ainda na primeira parte, através de Rafael Miranda, aos 26 minutos.

Um jogo em que a equipa forasteira foi controlando, prova disso foi aos 86 minutos terem ampliando a vantagem através de Teixeira. Mas desengane-se quem achava que o jogo tinha terminado… o tempo de compensação foi tudo menos pacífico. Com João de Deus, a estrear-se no comando técnico do Nacional, a equipa da casa conseguiu reduzir aos 91 minutos por Zizo, o que deixou tudo em aberto para os minutos finais. E foi, precisamente, aos 93 minutos que a equipa da casa chegou à igualdade, mas o golo acabou anulado, o que causou muita polémica.

Com este resultado, os Vimaranenses continuam em quinto lugar, com os mesmos pontos do Braga, enquanto que o Nacional ocupa o penúltimo lugar na liga com apenas 17 pontos.

 

Sábado, 1 de abril de 2017: Tondela 0 – 2 Estoril

O jogo entre o Tondela e o Estoril era um jogo que se perspetivava de nervos à flor da pele… as duas equipas precisam, desesperadamente, de pontos. Os dois emblemas estão na luta pela permanência, mas no duelo deste sábado os estorilistas levaram a melhor.

A equipa da casa não esteve bem… se não tem argumentos para vencer, pelo menos que não deite tudo a perder, mas foi o que aconteceu, não uma, mas duas vezes.

Cláudio Ramos e Kléber foram os protagonistas do jogo. O jogador do Tondela foi o autor das duas faltas que originaram duas grandes penalidades, por outro lado, Kléber só teve de se encarregar de as marcar… e resultado feito! O Estoril respirou, o Tondela fica cada dia mais sem ar.

Mas fica a imagem de uma equipa que ocupa o último lugar e de lá dificilmente sairá, neste jogo, terminou com um avançado na baliza e um central a ponta de lança, haverá maior prova de autodestruição?

Com esta vitória, o Estoril aumenta para oito a vantagem de pontos do último classificado, o Tondela.

Boavista 0 – 1 Rio Ave

O estádio do Bessa foi o palco do jogo entre o Boavista e o Rio Ave que terminou com a vitória dos forasteiros por 1-0.

Um jogo bem disputado, com ambas as equipas a terem oportunidades de golo, mas que não conseguiam encontrar maneira de as concretizar. Até que, aos 76 minutos, apareceu o único golo da partida, apontado por Adama Traoré, que deu uma vitória importantíssima à equipa de Vila do Conde.

Com este resultado, e a fazer um campeonato excelente, os axadrezados, que não perdiam há três encontros, descem ao décimo lugar, já o Rio Ave, com este triunfo mantém o sétimo lugar. Ambas as equipas procuram chegar à Europa.

SL Benfica 1 – 1 FC Porto

O estádio da Luz foi o palco do jogo do clássico mais falado do campeonato. Este foi o jogo intitulado de “jogo do título”.

A equipa encarnada entrou no clássico logo a vencer, depois de Jonas ter sofrido uma falta dentro da área portista que originou uma grande penalidade, que o brasileiro marcou aos 7 minutos. Com o golo, a equipa de Rui Vitória recuou no terreno, deixando o FC Porto explorar o contra-ataque, mas sem criar oportunidades de grande perigo.

A primeira parte terminou com menos oportunidades de golo do que era expectável, no entanto, a segunda foi o oposto. A equipa de Nuno Espírito Santo entrou forte na segunda parte e, aos 49 minutos, Maxi Pereira repôs a igualdade.

A tendência do encontro inverteu-se e passou a ser o Benfica a ter mais iniciativa, mas Casillas negou por duas vezes o golo a Jonas e Ederson foi muito rápido a sair da baliza para agarrar a bola aos pés de Soares, num lance de contra-ataque.

Nos minutos finais, as equipas começaram a ficar receosas, uma falha podia ser decisiva.

Com este resultado, fica tudo em aberto, com o SL Benfica a liderar, com mais um ponto do que o FC Porto.

 

Domingo, 2 de abril de 2017: Vitória de Setúbal 2 – 0 Moreirense

Depois de sete jogos sem vencer, o Vitória de Setúbal recebeu e venceu o Moreirense por 2-0. O jogo ficou decidido ainda na primeira parte, com João Amaral a inaugurar o marcador aos quatro minutos.

Um início de jogo que deixou o Moreirense apático, sem conseguir responder. E como quem não marca, sofre, neste jogo não foi diferente… aos 15 minutos, os sadinos ampliaram a vantagem através de Edinho.

A equipa forasteira não conseguiu criar oportunidades suficientes para inverter o resultado, num jogo marcado pela estreia de Petit no comando técnico. Desde a vitória na Taça da Liga que o Moreirense não consegue vencer.

Com este resultado, o Moreirense mantém o perigoso 16º lugar, com apenas mais quatro pontos que os dois últimos classificados. Enquanto que o Vitória de Setúbal, com este triunfo, ascendeu ao 11º lugar.

Belenenses 1 – 2 Feirense

O estádio do Restelo foi o palco do jogo entre o Belenenses e o Feirense que terminou com a vitória da equipa de Santa Maria da Feira por 2-1.

A equipa da casa inaugurou o marcador aos 17 minutos através de Juanto, numa primeira parte com pouca história. Mas a segunda parte foi diferente, a equipa forasteira soube sofrer, mas conseguiu impor o seu futebol. Aos 68 minutos, Edson Farias repôs a igualdade e quando já toda a gente achava que o resultado seria um empate, Etebo marcou o golo que ditou a reviravolta na partida. Uma grande penalidade que garantiu os três pontos.

Com este resultado, o Belenenses desceu para o 12º lugar, já o Feirense subiu para o nono posto.

Arouca 1 – 2 Sporting

O Sporting viajou até Arouca para sofrer e vencer. Depois dos rivais perderem quatro pontos em dois jogos, a equipa de Jorge Jesus soube aproveitar da melhor maneira os deslizes, mesmo que tenha apresentado um futebol pobre.

Aos nove minutos, o Arouca colocou-se em vantagem no jogo através de Mateus que inaugurou o marcador com um golo de cabeça. Um golo inesperado que deixou a equipa leonina atarantada, mas que acabou por saber reagir. E ainda na primeira parte, os pupilos de Jesus marcaram dois golos em dois minutos, aos 34′ através de Alan Ruiz e aos 36′ por Bruno César.

A segunda parte não teve história, muitos passes falhados e poucas oportunidades.

Com este resultado, o Sporting mantém o terceiro lugar, enquanto que o Arouca continua no perigoso 14º lugar.

Braga 3 – 3 Marítimo

O estádio AXA foi o palco do jogo entre o Braga e o Marítimo, que terminou com um empate a três golos. Um resultado inesperado, principalmente, depois da equipa de Jorge Simão estar a vencer por 3-0, mérito dos insulares que conseguiram chegar à igualdade.

Uma primeira parte em tanto que contou com cinco golos. Os arsenalistas marcaram aos 12 minutos por Baiano, três minutos depois ampliaram a vantagem através de Fede Cartabia e dez minutos depois, foi a vez de Rui Fonte entrar para a lista dos marcadores.

A equipa da casa ia controlando o jogo a seu belo prazer, até que o Marítimo reduziu aos 38 minutos através de Keita e, já no fim da primeira parte, marcou o segundo por Erdem Sen. E foi já ao cair do pano que os madeirenses chegaram ao empate, novamente por Erdem.

Com este resultado, os bracarenses mantêm o quarto lugar, mas agora com os mesmos pontos que o Vitória de Guimarães; já o Marítimo ocupa a sexta posição.

Filipa Mesquita

Deixe um comentário

error: Content is protected!