OPINIÃO: O Tango

Quando falamos de tango, associamo-lo, de imediato, à Argentina e, de facto, assim é.

O tango aparece no século XIX com a chegada de emigrantes da Europa à Argentina. O excedente masculino, sempre à procura de animação, é grande, daí que esta dança que resultou da fusão de vários ritmos, como o candomblé africano, flamenco Andaluz, a canção italiana, a Habanera Cubana e a Milonga Espanhola, foi introduzida nos bordeis da época, para animar os trabalhadores, que, enquanto esperavam para satisfazer as suas necessidades mais básicas, iam dançando e improvisando passos ao sabor da melodia, com letras obscenas. Na sociedade daquela época, o tango era considerado imoral pelas classes mais favorecidas.

Entretanto, como tudo na vida, as mentalidades evoluem, o tango chega a Paris e leva um banho de ouro, que o torna numa dança com características sensuais, exóticas, envolta em grande paixão e expressão artística.

Nomes como Carlos Gardel e Astor Piazzola enriquecem o tango com letras românticas e composições musicais enriquecidas com mais instrumentos, como o piano, entre outros, e transformam o Tango, nascido em locais pobres, numa música e dança sofisticada, proporcionando ao Tango movimentos cheios de sedução, de sentimento, de paixão e sensualidade.

O Tango passa, assim, do estilo obsceno para o melancólico, dramático, romântico, considerado até como uma linguagem da alma.

O Tango influenciou, pela sua técnica e estilo, tanto a patinagem artística, como a natação sincronizada.

O Tango exige sintonia entre homem e mulher, bem como, coordenação de passos e tempos em que os movimentos deverão ser executados. Por este facto e na minha modesta opinião, através desta expressão corporal, podemos enriquecer a nossa inteligência emocional. Como? Perguntar-me-ão. O Tango permite que se crie empatia entre as pessoas que o dançam, controla a ansiedade, ajuda-nos no autoconhecimento e automotivação e nas nossas relações interpessoais. Como saberão, a empatia leva-nos a colocarmo-nos no lugar do outro, se eu sentir as dificuldades do meu par, eu vou ajudá-lo a conseguir ultrapassá-las e também sei quando terei que fazer este ou aquele movimento e no tempo certo.

O Tango ajuda-nos a interagir com os outros, combate a solidão, as tristezas, porque, apesar de ser considerado melancólico, o Tango proporciona felicidade e satisfação pessoal. Quanto à automotivação, também esta dança leva-me a acreditar que vou conseguir dar o meu melhor, atingir o objetivo, que, neste caso, é executar cada movimento com perfeição e tirar prazer daí. Também proporciona um melhor conhecimento de mim mesma, das minhas limitações e que, passo a passo, vou adquirindo um melhor desempenho.

Existem várias escolas de Tango que eu aconselho vivamente a frequentarem por todos os motivos atrás expostos. Garanto-vos que se irão esquecer dos vossos problemas, ficarão muito bem-dispostos e com as energias repostas para enfrentar seja o que for.

Não há limites de idade para frequentar as aulas de Tango, desde os mais novos aos mais sapientes, basta apenas ter muita vontade de aprender e gostar muito de dançar.

Não deixe que a solidão tome conta de si, envolva-se no ritmo único do Tango e seja feliz!

Atualmente, o Tango Argentino consiste em: Tango de salão; Milongueiro; Novo Tango; e Show Tango.

As festas de Tango, são conhecidas como Milonga, onde se dá a primazia ao convívio e à dança, a combinação perfeita!

O Dia 11 de dezembro, foi instituído em 1977, pela Prefeitura de Buenos Aires, como o dia do Tango, para homenagear Carlos Gardel, que nasceu nesse dia e mês.

O Pai do Tango nasceu em 11 de dezembro de 1890, em Toulouse, foi batizado com o nome de: Charles Romuald Gardes, aos dois anos e três meses, vai com a mãe para a Argentina, e ficou conhecido como Carlos Gardel, que viria a deixar-nos mais pobres, em termos artísticos, em 1935, vitima de acidente aéreo em Medellin, Colômbia. Ficaram os registos das suas canções que, dessa forma, o imortalizam.

Esta semana, vou dar-lhes o prazer de verem a beleza do Tango executado com perícia e sensualidade pela Gladys e o Óscar. Espero que gostem!

Deixe um comentário

error: Content is protected!