OPINIÃO: Mulheres audazes

Mulheres, tantas vezes incompreendidas pela insensibilidade da sociedade, que sempre tentou e, muitas vezes, conseguiu amordaçar as nossas vontades, os nossos sonhos, os nossos desejos, a nossa liberdade.

A nossa indómita vontade e resiliência sempre foi maior que as amarras, lutamos contra os preconceitos e tabus, deixamos de fazer apenas o que nos mandavam e começamos a viver e a disfrutar da vida.

Não pensem que, pelo facto de sermos mulheres, não sentimos necessidade de afeto e contacto físico. Sentimos e muito. Quando não o temos procuramos, sim, como o homem o faz.

Se a sociedade tolera o adultério masculino, terá que aceitá-lo vindo da mulher. Todos somos seres humanos e, independentemente do género, somos todos iguais, com as mesmas necessidades, com os mesmos anseios, com as mesmas expectativas, com a mesma necessidade de sermos amados, apreciados e, fundamentalmente, felizes.

Desde sempre houve mulheres que não se deixaram subjugar pela vontade masculina e realizaram os seus sonhos e satisfizeram os seus desejos, porque, para elas, as suas vidas e felicidade eram prioritárias.

Amaram muito sem, contudo, se esquecerem que eram donas de si e das suas vontades. Admiráveis mulheres que conseguiram, com as suas armas, quebrar corações de gelo e concretizarem os seus ideais.

Temos muitos exemplos, na nossa história, de mulheres com uma vontade férrea, que “ajudaram” os seus companheiros, no governo de muitos países, a vencerem dificuldades e a encontrarem a solução para muitos obstáculos, bem como, o conforto e a satisfação dos instintos mais primários de forma despudorada, de uma entrega intensa e de grande satisfação sexual.

Hoje em dia, também existem muitas mulheres determinadas e donas de si e quero acreditar que seja uma percentagem muito grande. Contudo, ainda existem muitas mulheres a permitirem serem violentadas pelos seus companheiros e isso é algo que não podem continuar a alimentar. Lembrem-se que são comportamentos inadmissíveis e atentados contra a vossa integridade física intoleráveis. Há instituições que vos ajudarão a arranjar solução e a proteger-vos.

Não fiquem caladas, denunciem, saiam dessa situação desagradável e que ninguém merece. Os filhos também não merecem presenciar atitudes de agressão, entre os seus pais, em que a mãe é o saco de pancada. Isso, para além de ser traumatizante para as crianças, no futuro, eles vão pensar que só há uma forma de resolver situações de desacordo – a violência contra quem um dia juramos amor eterno.

Somos mulheres e isso não nos faz sermos menos que os homens. Somos ótimas amantes, somos naturalmente sedutoras, temos o charme à flor da pele e sabemos fazer um homem feliz na cama, no chão ou num prado verde. Imaginação é algo que temos de sobra. Só de pensar de como eles dependem dos nossos carinhos, da volúpia que lhes proporcionamos e da nossa sensualidade que se derrama sobre os seus corpos que se derretem em êxtase, sabemos como somos poderosas.

Com os nossos atributos adicionados à nossa inteligência, ninguém nos para. Contudo, devemos deixá-los ganhar, de vez em quando, porque se há coisa que eles não gostam é de se sentirem dominados ou controlados, entram facilmente em stress. Nós, mulheres, não queremos homens stressados ou deprimidos, desejamos homens felizes e satisfeitos e sempre com um sorriso fácil no rosto. Já repararam, como eles ficam bonitos com um sorriso nos lábios? Ou quando soltam uma gargalhada gostosa? Dá ou não dá, vontade de os agarrar e beijá-los intensamente?

Já lá vai o tempo, em que as mulheres eram passivas e submissas, pela educação que recebiam. Mudam-se os tempos e as vontades também e com elas, as mentalidades.

Hoje, quando temos vontade de beijar um homem pelo qual sentimos paixão, atração física ou amor, não ficamos à espera que ele tome a iniciativa, senão teríamos de esperar muito tempo e o tempo esgota-se rapidamente, eles pensam demais, usam uma balança, ainda que mental, para pesar os prós e contras de um beijo ou carícia e fazem muitas equações matemáticas e nós, mulheres, já não temos a paciência e passividade das nossas antecessoras – convém ressalvar que nem todas eram passivas e submissas e, por isso, o melhor que fazemos é mesmo avançar para a concretização de satisfazer um desejo nosso e eles vão ficar muito gratos por tomarmos as rédeas da situação e vão gostar muito com toda a certeza.

Já repararam como muitos ficam ruborizados só por nos ver? São os tímidos ou que fingem apenas sê-lo, não é verdade?! São tão engraçados! Normalmente, não sabem dizer muita coisa, mas também não é relevante, porque com o tempo e os nossos pacientes ensinamentos eles revelam-se autênticas surpresas.

Comer uma maçã por dia faz muito bem à nossa saúde e faz milagres com a nossa voz. É verdade, não estou a brincar! Fazer amor todos os dias, com o homem da nossa vida, também faz muito bem à nossa saúde física e psíquica. Contudo, devemos fazer amor sem pudor, entregarmo-nos por completo, usar e abusar da nossa imaginação e tomarmos sempre a iniciativa. É muito bom que eles fiquem muito satisfeitos e cansados, porque, normalmente, adormecem e são muito bonitos a dormir. Dá prazer, vê-los a dormir, é o descanso do guerreiro.

Desiludam-se os homens que pensam que só eles é que têm necessidades libidinosas e direito de as satisfazerem. Nós, mulheres, também as possuímos e temos o direito igualitário de as satisfazermos. Contudo, lembrem-se sempre que é preciso protegermo-nos das doenças sexualmente transmissíveis e, para isso, existem no mercado, vários tipos de preservativos, muitos deles feitos com imaginação.

Quebrar tabus sim, mas com respeito pela saúde de todos. Nunca se esqueçam que a saúde é a nossa única fortuna. Depois disto, estão à vontade para atingirem o clímax e sejam felizes.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error: Este conteúdo está protegido!!!