ESTÁDIOS DE ALMA: Lisboetas no Porto para aperitivo antes do Clássico

eduardo
Eduardo Carvalho, 28 anos, Analista de estratégia em futebol

Matosinhos, 26 de Novembro de 2017

O Leixões SC, um dos candidatos à subida de divisão, recebe a equipa B do Benfica, no Estádio do Mar, num encontro a contar para a 14ª jornada da Ledman Liga Pro!

Os compromissos televisivos ditaram que o jogo se realizasse de manhã, com 1124 espectadores a não quererem desperdiçar a oportunidade de ver ao vivo um duelo muito interessante. O frio era suportável e o sol aquecia os corações destes fiéis adeptos de futebol!

Ambas as equipas se apresentavam em sistemas tácticos derivados do 4-3-3.

O jogo começa muito morno, com poucas incidências junto às áreas. Só após a meia hora de jogo as equipas começaram a ameaçar um pouco.

Os anfitriões começaram por visar a baliza adversária através de um livre do especialista Breitner, mas o guarda-redes Zlobin resolveu sem problemas. Depois foi Rúben Belima, formado no Real Madrid, a aparecer em boa posição para finalizar, mas Lystcov chega a tempo de impedir o remate do esquerdino. O central russo fez, com Ferro, uma dupla intransponível no eixo defensivo encarnado.

Os visitantes responderam logo de seguida: primeiro, numa jogada em que Heriberto recebe no flanco esquerdo, mas deixa-se antecipar pelo guarda-redes Yeerjieti, que faz um sprint e corta para lançamento; depois, num remate de Gedson Fernandes, que o guardião chinês dos matosinhenses só consegue rechaçar para canto.

Ainda antes do intervalo, os visitados lograram um contra-ataque, mas desperdiçaram a vantagem numérica e o lance perdeu-se.

A etapa complementar trouxe um jogo com mais oportunidades. Foi logo aos 48 minutos que – novamente – Breitner cobra um canto directo e obriga o guarda-redes das águias a defesa apertada; voltando a criar muito perigo à passagem da hora de jogo, com um pontapé “canhão”, resultante da cobrança de um livre.

O russo Zlobin era, por esta altura, a figura dos encarnados – e talvez do jogo -, defendendo tudo o que havia para defender, com o expoente máximo a ser a defesa que evitou um golo “cantado” a Evandro Brandão.

Aos 75 minutos sai o protagonista Breitner e vai a jogo Bruno Lamas. João Henriques está a fazer um brilhante trabalho no comando técnico leixonense, mas fica a sensação de que a equipa ganharia se se conciliasse a titularidade de ambos.

Aos 77 minutos, Heriberto – outra vez ele – falha escandalosamente o golo, a passe da jovem promessa João Félix. Do lado contrário, Derick Poloni – entrado, entretanto – tem duas boas ocasiões: primeiro, são os laterais benfiquistas a anulá-lo, com cortes na altura certa; 5 minutos mais tarde, nova investida do brasileiro culmina num remate cruzado, a rasar o poste. O jogo passava por uma fase de aperto do Leixões!

O jogo termina com um empate, que não interessará a nenhuma das partes: o Leixões mantém o quinto posto, fora da zona de subida, e o Benfica B – apesar de não perder (nem ganhar) há quatro jogos – fica apenas dois pontos acima da “linha de água”.

A menos de uma semana do FC Porto vs Benfica, os adeptos portuenses e lisboetas provaram um apetitoso aperitivo que, pese embora a ausência de golos, os deve ter deixado com água na boca!

22555850_1912902742069951_1913633317_o
Foto: Estádio do Mar, Senhora da Hora; Eduardo Carvalho

Este autor não escreve segundo o novo acordo ortográfico.

Deixe um comentário

error: Content is protected!