Comic Con Portugal: Desde os “Simpsons” ao “Sims”, passando por séries nacionais e estrangeiras

O penúltimo dia da Comic Con, 16 de dezembro, na Exponor, foi cheio de convidados especiais, cosplays criativos e uma área de gaming repleta de aficionados. Já era de esperar tudo, num dia em que até os “Simpsons” tiveram um lugar marcado para sempre na pele de João e Joana, um casal de visitantes que decidiu fazer a sua primeira tatuagem no evento.

“Decidimos fazer cá uma tatuagem porque são sem custo, são profissionais de confiança e pareceu-nos uma boa ideia”, diz Joana, que tinha acabado de tatuar Lisa, dos “Simpsons”. “É uma série da nossa infância, da geração dos anos oitenta. Já queríamos fazer desde o ano passado mas não existiam vagas, então, foi este o ano!”, contou ao Jornal Referência.

João e Joana preferiram marcar na pele as suas personagens favoritas, já Rúben, Tiago, André, Diana e Carla optaram pela moda do cosplay – que consiste em fantasiar-se de uma personagem real (artista) ou ficcional (personagem de animes, mangás, comics ou videojogos), procurando interpretá-lo, na medida do possível. Vestidos de Naruto, “Guerreiros”, Hermione e de “Sims”, respetivamente, todos afirmaram que o evento é a melhor ocasião para integrarem a pele das suas personagens de animação favoritas e que estavam a adorar a experiência.

Rúben e Diana compraram os outfits pela internet, Carla fez “tudo à mão” e Tiago e André decidiram fazer cosplays, pela primeira vez, ao fim de quatro edições, para “ver como é a experiência”.

Experiência no festival é o que não falta a Gonçalo Silva, dono da loja “Neco”, presente na Comic Con Portugal desde o primeiro ano. O maior evento de cultura pop é benéfico para o seu negócio porque “traz muitos fãs deste tipo de produtos que vendemos” – “desde a t-shirt, o chapéu, à figura, portanto, tudo o que é colecionável em si”, afirma.

Sobre a possibilidade de a próxima edição do evento rumar à capital, Gonçalo vê vantagens: “o público em Lisboa tem mais acessos, comparado aqui com o norte. Acredito absolutamente que, se for para Lisboa, irá ter mais sucesso, ou então, sucesso na mesma como tem todos os anos”.

Do sul veio um dos principais nomes do dia: Dominic Purcell, o ator australiano que falou sobre a recém regressada série “Prison Break” e acerca dos seus papéis em “Flash” e “Legends of Tomorrow”, séries passadas na RTP1.

O final de sábado ficou marcado pela presença de Nuno Markl, o animador de rádio português, que apresentou a sua nova série “1986”.

Os números do evento

A quarta edição da Comic Con, o maior evento de cultura Pop do país contou, este ano, com a visita e participação de 100.748 pessoas.

Em comunicado, a organização informa que “foi possível observar e viver um universo único, memorável e rico em experiências que contou com 187 convidados, 206 conteúdos e mais de 400 atrações durante os quatro dias do evento”.

Deixe um comentário

error: Content is protected!