OPINIÃO: Compromisso

Todos nós estamos neste mundo com uma missão para cumprir. Qual a nossa missão? Não sabemos, mas vamos descobrindo aos poucos, conforme vamos vivendo diversas situações e somos despertados para a sensação de que já tínhamos vivenciado esta ou aquela experiência, conhecido esta ou aquela pessoa, sentirmo-nos satisfeitos no desempenho das nossas profissões… e as frases: “tudo tem um tempo para acontecer” – e – “nada acontece por acaso” -, acordam-nos para a realidade da nossa existência.

Então, se temos uma missão, ela está repleta de compromissos e o primeiro é fazermos tudo por nós mesmos para sermos felizes.

Muitas pessoas esquecem os seus compromissos para consigo e para com os outros. Isso é uma prática menos boa que nos devia alertar para fazermos tudo o que nos comprometemos realizar, porque só dessa forma teremos o retorno, que pode ser bom ou menos bom, dependendo das nossas ações, e a nossa missão vai-se cumprindo nesta vida.

Uma boa atitude é que tenhamos sempre presente que a vida, só por si, já é um compromisso, direi até, o maior e mais valioso. Contudo, lembremo-nos dos compromissos que fazemos com as outras pessoas, façamos de tudo para que a nossa palavra valha mais do que todo o dinheiro deste mundo.

Quando alguém se propõe a fazer qualquer tarefa, independentemente da sua importância, deve cumprir e honrar o seu compromisso. Se nos colocarmos no lugar do outro, entenderemos melhor porque devemos tudo fazer para não quebrar um determinado ciclo.

Tudo tem uma razão de ser, por isso, é lógico que lhe dêmos continuidade e não haja retrocesso no nosso percurso de vida, acreditemos ou não, “Ela” vai cobrar mais à frente o que ficou por fazer. Como? Através da insatisfação que sentiremos por não termos feito qualquer tarefa, por termos perdido aquela oportunidade, por termos sido pouco cumpridores para com os outros, por não termos dito o que tinha de ser dito na hora certa e a sensação de vazio é grande e arrasta consigo a insatisfação.

Se não limparmos os vidros da nossa casa ou os espelhos, o que acontece é o acumular de sujidade. Duvido que alguém goste de se olhar a um espelho sujo, ou olhar pelas janelas da sua casa para o exterior, através de vidraças sujas. É assim que nós ficamos, aos olhos dos outros, quando não cumprimos com o que nos propusemos fazer. Somos superfícies baças, para as quais ninguém gosta de olhar, porque deixámos de ser credíveis.

Quem é que vai confiar eternamente em alguém que não cumpre com as suas obrigações para com os outros, ou para consigo próprio? Ninguém.

Já todos ouvimos frases pouco abonatórias de uma pessoa que, por hábito, compromete-se e não cumpre. Como poderá esta pessoa evoluir? Que oportunidades a vida lhe dará mais?

Uma pessoa assim está a construir um caminho armadilhado. Ninguém gosta de andar por caminhos incertos e inseguros, então, quem não cumpre, acaba por ficar só, isolado e infeliz. Todos o irão julgar e nem sequer lhe darão tempo para se justificar, porque as suas palavras perderam valor.

É isto que queremos para nós? Eu não, seguramente.

Na minha opinião, tem mais valor uma pessoa que tem parcos recursos financeiros, mas que tem brio no que diz e faz e uma postura em que todos acreditam e apostam, porque sempre cumpriu com tudo quanto se propôs fazer.

Só desta forma vale a pena viver. Não prejudicando ninguém. Cumprindo com os nossos compromissos. Atingindo etapas de forma honesta e brilhante aos nossos olhos e aos olhos dos outros.

Lembre-se sempre que tem muitos compromissos para consigo e para com todos os outros que fazem parte da sua vida e que estes devem ficar bem resolvidos e não adianta fugir deles, porque eles o surpreenderão mais à frente.

Se quer ser brilhante, não deixe nada por fazer e seja lembrado como um bom exemplo a seguir.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error: Este conteúdo está protegido!!!