LIGAS DE REFERÊNCIA: Melhor ataque vs. melhor defesa, quem vai prevalecer?

Imagem: Ana Regina Ramos

Esta semana, o “Ligas de Referência” antevê a recepção do FC Porto ao CD Feirense.

Os campeões nacionais vêm de duas vitórias – uma goleada em Vila Real para a Taça de Portugal e um 3 a 1 ao Lokomotiv, na Rússia, para a Liga dos Campeões, depois de na jornada anterior ter perdido com o Benfica, no Estádio da Luz, por uma bola a zero.

Os fogaceiros, por seu turno, vêm de um triunfo tangencial e muito complicado em Mirandela – também para a Taça – e já não vencem para a Liga NOS há mais de dois meses e 6 jogos, sendo o pior ataque e… a melhor defesa da competição.

No confronto directo, em 19 jogos, o emblema de Santa Maria da Feira apenas logrou uma vitória – para a Taça da Liga – e quatro empates, contra 14 triunfos portistas.

Para este jogo, o FC Porto não poderá contar com o lesionado Aboubakar, sendo previsível que Otávio esteja já disponível; já o CD Feirense depara-se com mais problemas, devendo ver-se privado dos contributos do central Phillipe Sampaio, dos médios-defensivos Cris e Marco Soares e dos criativos Tiago Silva e Crivellaro.

No lugar de Sérgio Conceição, apostaria num 11 equilibrado entre os jogadores mais rodados e alguns mais “frescos”. Assim, promoveria a estreia absoluta de Mbemba e a de João Pedro no campeonato – poupando Militão e Maxi, dos jogadores mais utilizados – repetindo o meio-campo que se impôs em Moscovo, com Óliver em destaque, e fazendo entrar Tiquinho Soares por Brahimi, descaindo Marega para a direita e deslocando Corona para o flanco esquerdo:

FC PORTO
Casillas
João Pedro .:. Felipe .:. Mbemba .:. Alex Telles
Danilo Pereira
Herrera .:. Óliver
Marega .:. Soares .:. Corona

Subs.: Vaná; Militão; Jorge; Sérgio Oliveira; Brahimi; Adrián; André Pereira.

Se fosse Nuno Manta, optaria por fazer regressar o sector defensivo que se tem consolidado, com excepção das entradas do central Flávio Ramos – para o lugar do lesionado Phillipe Sampaio – e do médio Alphonse pelo lesionado Cris, fazendo a equipa alinhar num 4-4-2 clássico, com os mais equilibrados Sturgeon e Luís Machado a “fechar por dentro” para criar superioridade numérica a meio-campo, mantendo a aposta na consolidação do momento de forma de João Silva, juntando-lhe a mobilidade do avançado José Valencia:

CD FEIRENSE
Caio Secco
Tiago Mesquita .:. Flávio Ramos .:. Briseño .:. Vítor Bruno
Luís Machado .:. Alphonse .:. Babanco .:. Sturgeon
José Valencia .:. João Silva

Subs.: Bruno Brígido; Bruno Nascimento; Roderick Miller; João Tavares; Brian Gómez; Edson Farías; Edinho.

Quem irá prevalecer neste duelo de azuis?

Este autor não escreve segundo o novo acordo ortográfico.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta