EXPLICA SAÚDE: Cólica renal, a dor insuportável!

José Ramos, 70 anos, Médico de Família

Estima-se que cerca de 12% dos adultos sofram de cálculos renais (litíase renal), sendo uma doença muito frequente.

As cólicas renais aparecem em ambos os géneros por volta dos 30-35 anos. Os cálculos são constituídos por cristais duros gerados a partir de resíduos químicos presentes na urina que se sedimentam formando estruturas muito duras, umas maiores e outras mais pequeninas do tamanho de um grão de areia, que por vezes, se deslocam do seio renal, ocasionando dores intensas.

A litíase renal é formada por cálculos de cálcio que são frequentes (os de cristais de acido úrico, magnésio e os de cistina são mais raros).

A cólica renal é, de facto, uma dor lancinante de início repentino e causada pela oclusão parcial ou total do aparelho urinário, ocasionado por um ou vários cálculos. A dor é frequentemente descrita como a pior de todas – insuportável, localizada na região dorsal, ligeiramente abaixo das costelas que, por vezes, irradia para a região anterior e lateral do abdómen, chegando até as virilhas, não havendo nenhuma posição antálgica (assumida para aliviar a dor) que o doente possa ficar para diminuir a dor.

Frequentemente, a dor é acompanhada por náuseas, vómitos, urgência urinária e urina turva de cheiro fétido. Febre, suores, arrepios e grande desconforto na bexiga também podem surgir.

O doente com cólica renal está agitado, tentando encontrar uma posição antálgica e a palpação do local da dor desperta ainda mais a dor devido à presença do cálculo, sendo necessário e muito urgentemente fazer medicação analgésica porque, de facto, a dor é muito intensa e impossível suportar.

É importante saber a composição do cálculo (cristais de cálcio, ácido úrico, etc.) e, para isso, colher a urina num bacio ou fazer a pessoa urinar numa pequenina rede. A maior parte dos cálculos com até 5mm são expelidos espontaneamente em cerca de 90% dos casos.

A hidratação é fundamental e beber líquidos em abundância (o baixo consumo de água é um dos principais fatores responsáveis pelo aparecimento de litíase), preferencialmente água com baixo teor de cálcio, sumos naturais e ainda a alimentação também é muito importante, devendo-se preferir a dieta mediterrânica (por exemplo, tomar uma sopa de legumes, comer fruta), evitando comidas processadas e, assim, fazer a prevenção do aparecimento da litíase renal.

Ir ao médico de família/urologista, efetuar uma ecografia renal e vesical (para confirmar o diagnóstico de litíase renal) e também despistar outros problemas renais ou outras doenças abdominais, nomeadamente as doenças oncológicas, é muito importante.

P.S.: Não raramente vamos encontrar uma história familiar de cólicas renais em algumas doenças hereditárias, como a cistinúria, a hieroxaluria e a acidose tubular renal. Devem-se investigar histórias de cirurgias e de hiperparatiroidismo, pois é importante.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta