OPINIÃO: As Sequelas escondidas da guerra

José Ramos, 70 anos, Médico de Família

Como profissional de saúde, sinto por vezes necessidade (como qualquer cidadão) de me manifestar e de exprimir as minhas ideias, os meus pensamentos, expor e dar a minha opinião publicamente relativamente a algumas situações que acontecem e nos dizem respeito, como é o caso da invasão da Ucrânia, respeitando, como é óbvio, opiniões diversas, diferentes da minha pessoa, nomeadamente as efetuadas por outros profissionais da área da saúde e, por ventura, de outras vertentes profissionais.

Assim, a propósito da “operação especial militar na Ucrânia” levada a efeito pelo Sr. Putin Presidente da Rússia, vamos abordar uma situação que diferencia as “normais” situações de atrocidades da guerra desde mortes, amputações e devastação total dos bens, perdendo os seus habitantes, tudo aquilo que ao longo das suas vidas construíram, que só por si constitui desânimo e desespero de um povo.

Na guerra, quando os comandantes não têm escrúpulos e não respeitam os valores do ser humano, levam a que existam situações imperdoáveis, como é o caso das violações, nomeadamente a violação das mulheres, das crianças e mesmo dos homens.

As violações são um desprezo e falta de respeito, neste caso, pelo povo da Ucrânia e estão a ser utilizadas como um verdadeiro instrumento e demonstração total da guerra, deixando sequelas para toda a vida às pessoas que se viram envolvidas por uma situação invasora de um ditador e dos seus generais sem escrúpulos e destituído de regras e de sentimentos humanos.

As sequelas das diferentes violações dos direitos do ser humano (que são marcas que ficam para toda vida) são dependentes do género, da idade e da forma como foram efetuadas estas violações e torturas. Além da gravidez (que pode ocorrer em muitos casos nas adolescentes muito jovens), outras sequelas do foro psicológico, como a revolta a raiva, os síndromes de pânico, a baixa autoestima, as depressões e os suicídios são algumas formas de resposta do ser humano às violações vividas durante a guerra.

Temo que, apesar da presença, nomeadamente dos Médicos Sem Fronteiras que estão a trabalhar no terreno juntamente com a Cruz Vermelha, pouco possam fazer para minimizar essas situações de horror e grande sofrimento ocasionadas por uma guerra sem sentido.

A violência e a guerra só trazem destruição e sofrimento. Viva a paz!

Um abraço.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta