EM TELA: Os Demónios ficam sempre

Imagem: Joana Aleixo

(“Stranger Things”, 4.ª temporada Vol.1)

Tudo começou em 2016, quando chegou à Netflix uma série chamada “Stranger Things”, criada pelos irmãos Duffer, que rapidamente se veio a tornar num fenómeno mundial em grande escala. A premissa da então primeira temporada envolvia um grupo de miúdos: Mike (Finn Wolfhard), Dustin (Gaten Matarazzo), Lucas (Caleb McLaughlin) e Will (Noah Schnapp) e o súbito desaparecimento deste último, o que deixa a cidade onde moram, Hawkins, em alvoroço, assim como a mãe de Will, Joyce (Winona Ryder) e o detective da polícia Jim Hopper (David Harbour). Também ficamos a conhecer a irmã de Mike, Nancy (Natalia Dyer) e o namorado desta, Steve (Joe Keery), bem como o irmão de Will,

Jonathan (Charlie Heaton). É então que surge Eleven (Millie Bobby Brown), uma rapariga com poderes peculiares que rapidamente se alia ao grupo de miúdos. Mas uma sombra escura paira sobre Hawkins e demónios começam a aparecer e a virar a vida de todos do avesso. Foi assim uma primeira temporada recheada de emoção e surpresas, que rapidamente alcançou sucesso na plataforma. Em 2017, chega uma segunda temporada, com novas personagens como Max (Sadie Sink), o rebelde Billy (Dacre Montgomery) ou Murray (Brett Gelman) a juntar-se ao já conhecido grupo da primeira temporada. Em 2019, surge a terceira temporada, com personagens novas como Robin (Maya Hawke), Suzie (Gabriella Pizzolo) e o grupo do costume, que mais uma vez se vê no meio de monstros como Demogorgons e ainda The Mind Flayer. Existe também o Mundo Invertido (“Upside Down”), um lugar idêntico a Hawkins mas povoado por criaturas horrendas.

Eis que passados três anos, em 2022, chega à Netflix a quarta temporada desta série, que está dividida em 2 volumes, ficando o primeiro disponível a 27 de Maio. Este primeiro volume da quarta temporada, mal chegou à Netflix estabeleceu logo a liderança. A duração dos episódios é maior, assim como o orçamento, que rondou os 30 milhões por episódio.

Este início da quarta temporada é mais aterrorizante e madura, com os miúdos – desculpem, já graúdos – a se debaterem com outros problemas como bullying, mortes ou até o próprio crescimento. A idade é outra. Neste momento, é a sobrevivência deles que está em jogo. A batalha pelas suas vidas está longe de acabar e é muito diferente daqueles combates dos jogos que outrora os miúdos jogavam em conjunto. Hawkins já deixou de ser um lugar seguro e um novo e poderoso monstro anda à solta a aterrorizar a população. Agora mais do que nunca, os nossos heróis têm de ser fortes e combater esta nova ameaça, antes que ela os destrua.

Os demónios ficam sempre para nos atormentar e não são só as criaturas macabras. Também há desesperos e lágrimas, dor e perda, revoltas mas também vitórias. Há personagens novas e locais para além de Hawkins, como as paisagens vibrantes da California ou os ares gelados da Rússia, bem como podemos também explorar mais a fundo o “Upside Down”. Este primeiro volume da quarta temporada de “Stranger Things” é um deleite visual, é uma reunião de amigos, é adrenalina e expectativa, é os graúdos a tentarem seguir em frente com as suas vidas, não esquecendo também a infância e o que os juntou.

Acima de tudo, este primeiro volume é uma celebração do que é saber fazer séries de qualidade e de saber que o público-alvo nunca desliga, não importa que os anos passem e os miúdos cresçam e se tornem adultos. E é também uma celebração de filmes de culto dos 80’s, particularmente no campo do horror. O volume 2 ficou disponível a 1 de julho e, tal como milhares de fãs espalhados pelo mundo, mal posso esperar por ver o épico desfecho desta quarta temporada. Por isso, preparem-se que a viagem vai ser longe e acidentada.

Estrelas: 10 em 10.

Este autor escreve segundo o antigo acordo ortográfico.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta