Conheçam os premiados da 43.ª edição do Fantasporto

Já são conhecidos os vencedores da 43.ª edição do Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto, que termina este domingo, dia 5 de março, e teve como palco principal o Batalha Centro de Cinema.

Na secção do cinema fantástico, o filme português, co-produzido com o Reino Unido, “Incubus”, de Tito Fernandes, foi o vencedor do Grande Prémio da vertente dedicada às curtas-metragens, tendo sido igualmente escolhido pelo Júri do Prémio de Cinema Português como o Melhor Filme a concurso.

“Megalomaniac”, um filme belga de Karim Ouelhaj, foi o grande vencedor do festival arrecadando três prémios: o Grande Prémio, a Melhor Realização e ainda o Prémio para a Melhor Atriz (Eline Shumacher).

“Shepherd”, de Russel Owen, arrecadou os prémios de Melhor Ator (Tom Hugues) e ainda o de Melhor Fotografia.

O Prémio Especial do Júri foi para a inédita presença no Fantasporto de um filme de Taiwan, “Demigod: The Legend Begins”, de Chris Huang Wen-Chang.

O Prémio para o Melhor Argumento foi entregue ao filme japonês “Convenience Story”, de Satoshi Miki.

O júri atribuiu ainda a sua Menção Honrosa ao filme da Malásia, “Stone Turtle”, de Woo Ming Jin.

O júri da secção de cinema fantástico foi constituído por Lawrence Trott, escritor e realizador, Márta Bényei, do National Film Institute da Hungria, Sandra Henriques, escritora e crítica de cinema, e Luís Rosales, diretor do mais antigo festival de cinema da Galiza.

No âmbito da Semana dos Realizadores, o Prémio de Melhor Filme foi entregue a “Narcosis”, de Martijn de Jong, dos Países Baixos. Thekla Reuten foi considerada a Melhor Atriz, pela partiicpação em “Narcosis”.

Já o Prémio Especial do Júri foi atribuído a “Kaymak”, de Milcho Manchevski, numa co-produção entre a Dinamarca, Países Baixos, Croácia e Macedónia do Norte.

Hans Herbots recebeu o Prémio de Melhor Realizador, por “Ritual”, uma co-produção entre a Bélgica, Países Baixos e Alemanha.

O Melhor Argumento foi vencido pro “The Game”, de Péter Fazakas, da Hungria. Zsolt Nagy foi considerado o Melhor Ator, pela participação em “The Game”.

A Menção Especial do Júri foi atribuída a “The Grandson”, de Kristóf Deák (Hungria).

O júri internacional da Semana dos Realizadores foi composto por Anthony Waller (Reino Unido), realizador de “An American Werewolf in Paris” e “Mute Witness”, Pedro Farate (Portugal), diretor de Fotografia, Marina Anna Eich (Alemanha), atriz e produtora, e Isabel Pina (Portugal), realizadora.

Na secção oficial Orient Express, o Grande Prémio foi atribuído a “Kargo”, realizado por T.M. Malones, das Filipinas.

O Prémio Especial do Júri foi entregue a “Stone Turtle”, de Woo Ming Jin, da Malásia.

Nesta secção, o painel de júris foi composto por Anthony Waller (Reino Unido), realizador de “An American Werewolf in Paris” e “Mute Witness”, Pedro Farate (Portugal), fotógrafo de cinema, Marina Anna Eich (Alemanha), atriz e produtora, e Isabel Pina (Portugal), realizadora.

Quanto aos prémios não oficiais, o Prémio da Crítica foi vencido por “Immersion”, de Takashi Shimizu, do Japão, e o Prémio do Público foi entregue a “Life of Mariko in Kabukicho”, de Eiji Uchida e Shinzô Katayama, do Japão

Os Prémios de Carreira Fantasporto 2023 foram atribuídos a Ferdinand Lapuz, Krzysztof Zanussi, Elmo Nuganen e Anthony Waller.

Deixe um comentário

error: Content is protected!