40º Jornada da II Liga: Promoções, despromoções e lugares incertos

Uma jornada cheia de surpresas! Apesar de se saber que o Portimonense e o Desportivo das Aves garantiram a subida, não se sabe ainda quais os clubes que vão descer e quais os lugares que os restantes ocuparão. Sabe-se, no entanto, que o Freamunde, a par do Olhanense, são os primeiros a despedirem-se da Liga de Honra.

Sexta, 5 de maio de 2017: Sporting B 2 – 2 SL Benfica

O dérbi que abriu a 40.ª jornada entre o Sporting e o Benfica terminou empatado a duas bolas. Ambas as equipas entraram em campo com algumas mexidas no onze apresentado, face ao jogo anterior.

Os leões entraram melhor e, inclusive, foram a primeira equipa a criar um lance de perigo, assim como, a inaugurar o marcador. Aos 19 minutos, Gelson Dala marcou o primeiro golo do jogo ao aparecer nas costas da defensiva encarnada, com um remate colocado, depois de uma assistência de Pedro Delgado.

Os pupilos de Hélder Cristovão tentaram reagir e conseguiram chegar à igualdade através de Zé Gomes, aos 45 minutos, que rematou sem hipótese para o guarda-redes leonino.

Na segunda parte, a equipa da casa voltou a entrar melhor na partida e a estar à frente do marcador, mais uma vez. Desta vez foi através de Leonardo Ruiz, numa jogada de insistência e após uma grande confusão na área encarnada.

Mas tal como na primeira parte, o Benfica voltaria a empatar a partida, mais uma vez por Zé Gomes, aos 75 minutos, que apareceu solto na pequena área e desviou um centro de Gedson.

Nos últimos minutos o Sporting criou algumas situações de perigo, mas não conseguiu concretizar.

Com este resultado, o Sporting desceu ao 14.º lugar, já o Benfica ascendeu ao terceiro posto.

Sábado, 6 de maio de 2017: Académica 1 – 0 Vitória de Guimarães B

Depois de três meses sem vencer, a Académica de Coimbra recebeu e venceu por 1-0 o Vitória de Guimarães B.

A equipa da casa entrou melhor na partida, determinados a vencer, e conseguiram chegar ao golo logo aos 10 minutos, na sequência de um livre estudado. Pedro Correia desmarcou Marinho na direita e este, após ganhar a linha de fundo, cruzou para o cabeceamento certeiro de Diogo Coelho, que, na pequena área, não deu hipóteses ao guarda-redes vitoriano.

Depois do golo, os estudantes recuaram no terreno e o jogo ficou mais equilibrado. A segunda parte foi a prova disso, com o jogo a ser muito mais disputado e com os vimaranenses a tentar chegar à igualdade, mas em vão, sem grandes oportunidades de golo.

Com este resultado, a Académica garantiu a permanência na II Liga e voltou às vitórias, já o Vitória de Guimarães desceu ao décimo lugar.

Domingo, 7 de maio de 2017: Freamunde 1 – 2 Portimonense

Depois da festa da subida à I Liga, o Portimonense foi mais uma vez motivo de notícia, desta vez, por ter vencido no terreno do Freamunde, e confirmado a despromoção da equipa nortenha.

O Freamunde até entrou bem no jogo, a aproveitar o fator “casa” e a conseguir adiantar-se no marcador por intermédio de Diogo Ramos, aos 30 minutos. Mas os pupilos de Vitor Oliveira não se deixaram ficar e reagiram da melhor forma na segunda parte. Primeiro, por Gustavo, aos 77 minutos, e depois por Pires na conversão de uma grande penalidade, aos 85 minutos.

Com este resultado, o Freamunde perdeu todas as hipóteses da permanência, já o Portimonense está cada vez mais perto de ser campeão da II Liga.

Braga B 2 – 3 FC Porto B

O FC Porto B deslocou-se ao reduto do Braga B para vencer por 3-2 e garantir três importantes pontos.

Os portistas entraram melhor na partida e aos 11 minutos inauguraram o marcador por intermédio de Galeno que mostrou frieza e classe ao fazer um chapéu a Tiago Sá, depois de um passe tirado à medida por Fede Varela.

Os bracarenses tentaram reagir e chegar ao empate, mas contra a corrente do jogo, os azuis e brancos voltaram a marcar e ampliaram a vantagem através de Areias.

Já na segunda parte, Galeno bisou na partida ao aproveitar um erro clamoroso de Tiago Sá na reposição de bola, ampliando, assim, o resultado para 3-0.

Quando tudo parecia controlado, os arsenalistas marcaram dois golos em dois minutos, através de Trincão, aos 58 minutos, e de Ogana, aos 59.

No entanto a equipa forasteira esteve sempre mais perto do quarto golo, do que o Braga do empate.

Com este resultado, o FC Porto B garantiu a permanência na II Liga, enquanto que o Braga B desceu à oitava posição.

Desportivo das Aves 2 – 1 FC Penafiel

O Desportivo das Aves, clube já promovido, continua na luta pela conquista do campeonato, e este domingo, na receção ao Penafiel, não fez jus à pressão e venceu os durienses por 2-1.

O Aves foi a primeira equipa a criar perigo, com um meio campo que fazia muita pressão e cada vez mais ameaçador nas ações ofensivas através dos flancos, a equipa da casa conseguiu chegar ao golo através de Guedes, depois de um cruzamento de Balogun.

Já na segunda parte, o Aves ampliou a vantagem, num lance em que prevaleceu o futebol simples, numa jogada em que Ericson fez uma grande assistência para Balogun que cruzou para Caetano, que, de primeira, rematou para o 2-0.

Os durienses só deram um ar de sua graça na fase final da partida, conseguindo reduzir aos 80 minutos por intermédio de Fábio Fortes, que tinha entrado em jogo há quatro minutos.

Com este resultado, o Desportivo das Aves continua a dois pontos do Portimonense, já o Penafiel desceu para o quarto lugar.

Académico de Viseu 1 – 2 União da Madeira

O Académico de Viseu recebeu o União da Madeira, num jogo que terminou com a vitória dos madeirenses por 2-1.

O Académico de Viseu entrou melhor na partida, teve mais bola e mais iniciativa, criando várias situações de perigo, mas foi a equipa madeirense que acabou por chegar ao golo, num lance de bola parada através de Flávio Silva, aos 31 minutos.

A equipa da casa tentou reagir à desvantagem e, perto do intervalo, Bura conseguiu repor a igualdade, após um cruzamento de Sandro Lima.

A segunda parte foi muito idêntica à primeira, com a equipa viseense sempre mais perto do golo, mas foi a equipa madeirense a chegar ao golo da vitória, aos 90+6 minutos, através de Allef Nunes, depois de um “frango” do guarda-redes do Académico.

Com este resultado, o Académico de Viseu desceu para o 16.º lugar, mas ainda com possibilidades matemáticas de garantir a permanência, enquanto que o União da Madeira ocupa a nona posição e regressa à vitória quatro jogos depois.

Vizela 2 – 3 Cova da Piedade

O Cova da Piedade deslocou-se ao reduto do Vizela para conquistar três pontos depois de vencer por 3-2 a equipa da casa.

O jogo começou com as duas equipas a entrarem receosas, mas com o Vizela a ser o primeiro emblema a criar situações de perigo e, inclusive, a inaugurar o marcador. Aos 41 minutos, Homero marcou o primeiro golo da tarde.

Na segunda parte o Cova da Piedade entrou com vontade de inverter o resultado. O primeiro golo da equipa forasteira surgiu aos 57 minutos através de Adilson, depois de um remate cruzado, assistido por Ballack.

O clube orientado por João Barbosa conseguiu a reviravolta com um golo de Evaldo, aos 70 minutos, mas sete minutos depois a igualdade foi reposta por Prince.

A reta final do jogo foi caricata e o golo da vitória do Cova da Piedade chegou cinco minutos depois do tempo regulamentar por intermédio de Dieguinho, que recolheu a bola perto da área e correu para a baliza sem oposição.

Com este resultado, o Cova da Piedade saiu dos lugares aflitivos, mas ainda não está confortável na tabela, já o Vizela só garantirá a permanência se vencer o play-off.

Varzim 1 – 0 Famalicão

O Varzim recebeu e venceu o Famalicão por 1-0. Apesar das duas equipas terem objetivos bastante distintos, foi um jogo bem disputado, com bom futebol e com as bancadas cheias de adeptos.

Uma primeira parte marcada pelas várias oportunidades das duas equipas, com destaque para os guardiões que foram as principais figuras para garantirem o nulo.

Na segunda parte, o Varzim entrou melhor, tendo claras oportunidades para marcar.

Já o Famalicão recuou no terreno, estando mais à espera do contra-ataque para criar perigo. E foi aos 74 minutos, que a equipa da casa chegou ao golo da vitória por intermédio de Rui Costa, num lance de contra ataque iniciado por Vilagrán e trabalhado por Madele.

O Famalicão ainda tentou reagir à contrariedade, mas não foi eficaz.

Com este resultado, o Varzim ascendeu ao quinto lugar, já o Famalicão manteve a 17.ª posição.

Gil Vicente 1 – 3 Fafe

O Fafe deslocou-se ao reduto do Gil Vicente para conquistar três pontos, depois de vencer por 3-1.

Mais um jogo muito bem disputado, a mostrar o porquê da II Liga ser tão emocionante. A equipa da casa entrou melhor na partida e criou grandes dificuldades à equipa fafense, que, com o passar do tempo, foi melhorando. Mas aos 25 minutos, o Gil Vicente iria mesmo inaugurar o marcador através de Paulinho que marcou de cabeça, depois de um cruzamento de Alphoense.

A equipa forasteira tentou reagir e esteve perto da igualdade ainda na primeira parte. A segunda parte foi menos emotiva, mas a equipa da casa voltou a entrar melhor e a estar perto do segundo golo.

Consciente do peso que teria a derrota, o Fafe tentou chegar à igualdade e conseguiu aos 76 minutos por Alan Júnior, depois da conversão de uma grande penalidade. Uns minutos depois, o mesmo jogador marcou o golo da reviravolta, depois de um cruzamento de Evandro.

O Gil Vicente não conseguiu reagir e o terceiro golo dos forasteiros iria surgir nos minutos finais, através de Geraldo, com um remate imparável.

Com este resultado, o Fafe ainda sonha em chegar ao play-off de manutenção, enquanto que o Gil Vicente desceu ao 13.º lugar.

Leixões 1 – 3 Sporting da Covilhã

Reviravolta é a palavra que melhor define o jogo disputado no Estádio do Mar, em Matosinhos, e que levou à vitória do Sporting da Covilhã, por três bolas a uma com o Leixões.

O Covilhã começou bem o jogo, com boa troca de bola, o que impediu o ataque da equipa da casa.

Dois livres diretos de Porcelis, embora sem conseguir entrar na área visitante, confirmaram que, afinal, o Leixões não estava a dormir. Logo aos 19 minutos, Bruno Lamas tentou a sua sorte a cerca de 30 metros da baliza, mas foi só na segunda parte, aos 50 minutos, que Cadu marcou de cabeça e inaugurou o marcador, ao corresponder ao pontapé de canto de Fati.

Mesmo reduzidos a dez jogadores, por expulsão Djikiné aos 58 minutos, o Covilhã mudou o destino do jogo a partir dos 79 minutos. Aos 79 e 83 minutos, o árbitro assinalou duas grandes penalidades por alegadas faltas de André Teixeira e Belly, o que permitiu Ponde consumar a reviravolta para os serranos.

A equipa de Matosinhos sofreu ainda um terceiro golo da autoria de Medarious, aos 87 minutos.

Com este resultado, o Leixões já sabe que terá, pelo menos, de disputar um play-off de manutenção, uma vez que tem sete pontos de desvantagem para o Cova da Piedade, primeira equipa acima da “linha de água”.  Já Filipe Gouveia, treinador do Covilhã, parece que teve de cumprir a promessa de pagar um jantar à equipa, que está no sétimo lugar, caso vencesse.

Santa Clara 3 – 0 Olhanense

Foi no Estádio de S. Miguel que o Santa Clara conquistou a sua 16.ª vitória na II Liga, ao bater o Olhanense por três bolas a zero.

As duas equipas entraram em campo equilibradas, mas numa primeira parte que não foi lucrativa para nenhuma das partes.

O perigo começou com a equipa algarvia, que, aos 10 minutos, se aproximou da baliza de Serginho, mas Ademola rematou ao lado.

Aos 26 minutos, o Santa Clara respondeu com um remate demasiado forte de Ruben Saldanha.

Já na segunda parte, o clima foi diferente. Logo 5 minutos depois de começar, no seguimento de um canto, Clemente cabeceou para o golo e inaugurou o marcador.

Osama Rashid converteu no 2-0, aos 56 minutos, uma grande penalidade favorável aos açorianos.

O terceiro e último golo do Santa Clara surgiu 10 minutos depois através de Clemente, que finalizou uma boa jogada de Berny Burke na direita.

Até ao final do jogo, o Olhanense não desistiu, com uma tentativa de Oliveira e outra de Cissé, que tentou fazer o ‘chapéu’ ao guardião da casa aos 75 minutos.

Mas o Santa Clara também continuou as investidas e quase marcou o quarto golo, muito perto dos 90 minutos, com Rodolfo caído no relvado e um remate de Rui Silva que perdeu pela excessiva altura.

A partida foi, claramente, favorável ao Santa Clara, que ascendeu à sexta posição e, por outro lado, só confirmou a despromoção do Olhanense.

Filipa Mesquita e Ana Regina Ramos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error: Este conteúdo está protegido!!!