ESTÁDIOS DE ALMA: Caxineiros à pesca de vitória em terreno duriense

eduardo
Eduardo Carvalho, 28 anos, Analista de estratégia em futebol

Numa partida a contar para a 24ª jornada da Ledman Liga Pro, o terceiro classificado FC Penafiel recebeu o 15º Varzim SC, apenas dois pontos acima da “linha de água”.

A afluência ao Estádio Municipal 25 de Abril foi razoável, especialmente num pouco habitual Sábado de manhã, com uma boa falange de apoio visitante.

Os anfitriões, candidatos e em posição de subida à Liga NOS entraram em jogo dominadores, cedo instalando-se no meio-campo adversário.

20180210_125354
Foto: Eduardo Carvalho

O Varzim procurava explorar o contra-ataque, até pelas características dos seus atacantes, com destaque para Stanley. O nigeriano, cedido pelo Portimonense, quase marcava contra a corrente do jogo, mas não conseguiu ultrapassar o guardião Ivo Gonçalves.

Os penafidelenses, todavia, conseguem mesmo chegar à vantagem, numa iniciativa pelo corredor esquerdo, com a bola cruzada a não ser completamente afastada pela defesa e Ludovic atento e rápido a atacar o esférico “perdido”, inaugurando o marcador.

O jogo estava muito combativo e nem sempre bem jogado, com prevalência dos duelos físicos no sector intermédio.

Quando pouco o fazia prever, o conjunto que se deslocou da Póvoa de Varzim chega ao empate, num remate de Zeka, de pé canhoto, em arco, ainda antes da grande área, que sai colocadíssimo junto ao poste direito da baliza.

O albanês acabaria por se lesionar nesse mesmo lance, tendo mesmo de abandonar o encontro, substituído por Ruan Teles.

20180210_114312
Foto: Eduardo Carvalho

O Varzim passou, então, a privilegiar as transições defesa-ataque, de forma apoiada, mas eram inúmeras as perdas de bola, de parte a parte.

Perante essa dificuldade de fluidez na posse, o Penafiel apostava nos lances de bola parada e foi assim que restabeleceu a vantagem: Ludovic cobra o pontapé de canto, Fábio Abreu ganha no espaço aéreo e cabeceia à trave, deixando o guarda-redes batido; no ressalto o João Paulo cruzou rasteiro sobre a esquerda e Rafa encostou para golo.

A equipa da casa concretizava quase todas as ocasiões de finalização de que dispunha.

Nos último minutos do primeiro tempo, os comandados de Nuno Capucho começaram a controlar melhor em posse, subindo o bloco defensivo e recuperando a bola em zonas mais adiantadas do terreno.

20180210_130607
Foto: Eduardo Carvalho

O Penafiel, por seu turno, defendia cada vez mais em bloco médio/baixo, desdobrando-se bem em transição, mas definido pior no último terço.

A etapa complementar manteve esta toada, inversamente proporcional ao início do encontro, mas com os varzinistas mais assertivos a penetrar na muralha defensiva penafidelense.

Essa maior inspiração e velocidade de passe daria frutos bem cedo: cruzamento de Rui Coentrão, pelo flanco canhoto, a ser rechaçado “in extremis” e Ruan, com um grande passe, a deixar Macedo na cara do guarda-redes e este a finalizar cruzado e com muita classe.

O jogador luso-suíço, depois de ter sido alvo de muitas correcções do seu treinador na primeira parte, estava, finalmente, a conseguir colocar toda a sua técnica a serviço do colectivo.

O jogo volta a equilibrar-se, com ligeiro ascendente dos visitados, com os visitantes a parecerem mais cómodos no jogo, até porque costumam ser mais perigosos com espaço, a aproveitar a profundidade.

20180210_125509
Foto: Eduardo Carvalho

Os pupilos de Armando Evangelista iam controlando as operações, sendo particularmente eficientes na saída das zonas de pressão, variando o flanco de jogo com qualidade.

Foi precisamente na sequência do jogo exterior ofensivo que a equipa começou a criar perigo, com várias oportunidades para chegar ao desejado golo da vitória, mas o guardião Paulo Vítor revelou-se, desta feita, intransponível.

Como “quem não marca, arrisca-se a sofrer”, seriam os forasteiros a chegar ao triunfo, mesmo ao cair do pano: livre de Sandro, ainda antes do meio-campo, Stanley ganha o duelo aéreo e desmarca Buba, que finaliza à saída do guarda-redes.

A partida termina com uma vitória do Varzim, mais à vontade a jogar fora de casa, parecendo estar, finalmente, a crescer nos vários momentos de jogo.

O Penafiel perde esta batalha, mas continua bem posicionado e competitivo na “guerra” que é a luta pela subida de divisão.

Este autor não escreve segundo o novo acordo ortográfico.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error: Este conteúdo está protegido!!!