EM TELA: “Som Da Liberdade” – ‘Os filhos de Deus não estão à venda’

“É a rede criminosa internacional com o crescimento mais rápido que o mundo já viu. Já superou o comércio ilegal de armas e em breve vai superar o comércio de droga, porque só se pode vender um pacote de cocaína uma vez, mas uma criança cinco a 10 vezes por dia”. É com esta frase impactante que começa o filme “Som da Liberdade”.

Este foi o primeiro conteúdo de cinematográfico que vi em cinema em 2024 e sem sombra de dúvida que jamais irei esquecer aquilo que senti perante a representação de uma realidade vivida todos os dias. Este filme aborda o tema tráfico humano, mais especificamente de crianças, e foi utilizada uma história verídica para a realização do mesmo. Durante a narrativa vemos dezenas de crianças serem traficadas e retiradas aos seus pais, que eram aliciados pela ideia de esperança de um futuro melhor.

Mais do que uma obrigação encontrar essas crianças e devolver-lhes a vida, este filme mostra-nos quem sente que esse é também o seu propósito. Só quem vê este conteúdo é que consegue perceber e sentir o que nos é transmitido através de uma narrativa simples, mas muito clara, impactante e transparente de tudo aquilo que se passa no mundo. A história começa e acaba da mesma forma e essa é uma narrativa que me agrada pessoalmente: o viajarmos sem, na verdade, termos saído alguma vez daquele lugar.

No fim do filme, após os créditos, somos presenteados com uma espécie de mensagem especial, que nos é transmitida pelo ator principal do filme. “A pessoa mais poderosa do mundo é o contador de histórias”, referiu, revelando ainda que “o filme foi gravado há cinco anos, mas que todos os obstáculos e mais alguns surgiram”.

O ator exprimiu, ainda, a sua opinião ao falar sobre a experiência social que é ver um filme numa sala de cinema e do impacto que este pode ter no comportamento e sentido crítico da sociedade.  Mais uma vez o cinema é utilizado como uma arma muito forte de informação e de sensibilização para um tema que é tão preocupante e, ao mesmo tempo, tão atual. O tráfico de crianças e no geral, o tráfico humano, está muito mais perto de nós do que aquilo que possamos imaginar, sendo que a escravidão hoje é muito maior do que na época em que a escravidão era ilegal.

Mas nunca se esqueçam: “Os filhos de Deus não estão à venda”.

Estrelas: 9/10

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error: Este conteúdo está protegido!!!