EM TELA: “Fear Street” – Part one (1994) and two (1978) 

Foto: Netflix/Canva

Pela primeira vez, este “Em Tela” irá ser um dois em um! “Fear Street” é um filme que foge aos conteúdos que costumam ser tendência na Netflix, sendo que este é de ação e, principalmente, thriller. Para já, “Fear Street” conta com dois diferentes filmes que se interligam na sua narrativa: um primeiro que corresponde à parte um (que conta uma história que se passa em 1978) e um segundo filme que corresponde à parte dois (que conta uma história que se desenvolve em 1994). Cada filme tem quase duas horas de duração.

A narrativa acontece em torno de uma história de terror antiga que alimenta rumores sobre uma pequena cidade nos EUA. A crença numa ligação maligna entre uma bruxa e a cidade fazem com que vários assassinatos aconteçam, gerando polémica e alguma controvérsia perante aqueles que não acreditam em histórias geradas em torno mitos e lendas. É curioso como o primeiro filme retrata uma história mais recente e o segundo retrata uma mais antiga, o que nos permite perceber, inicialmente, o presente e, depois, recuar ao passado para perceber com mais nitidez o que se passa no primeiro filme. Desta forma, há um crescendo de compreensão de uma forma inversa ao recuar no tempo, o que é bastante curioso.

Contudo e apesar de o conteúdo ser bom, visto que é puro entretenimento, este não nos passa nenhum tipo de mensagem social nem promove qualquer reflexão. Pessoalmente, prefiro filmes que nos deixem a refletir sobre um tema ou que passem uma mensagem, mesmo que esteja subentendida. Assim, esse é o fator menos positivo destes dois conteúdos.

A história é bem conseguida, apesar de não ser algo original, porque acaba por ser uma história clássica do mundo do cinema, principalmente no que diz respeito à categoria thriller.

Algo positivo é que, após a visualização do segundo filme, conseguimos entender que haverá uma parte três. É importante referir que este filme não é de nenhum modo indicado para crianças.

Vejam o trailer aqui:

Part one:

Parte two:

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta