Aulas começam entre 14 e 17 de setembro. Conheçam o calendário escolar 2021/2022

Foto: freepik

Já é conhecido o calendário escolar para o ano letivo 2021/2022.

De acordo com um despacho publicado em Diário da República na passada quinta-feira, dia 8 de julho, as aulas começam entre os dias 14 e 17 de setembro e prolongam-se até ao dia 17 de dezembro. O segundo período letivo arranca no dia 3 de janeiro e acaba no dia 5 de abril e o terceiro tem início a 19 de abril e termina entre os dias 7 e 30 junho, consoante o ano escolar (7 de junho para o 9.º, 11.º e 12.º anos de escolaridade; 15 de junho para o 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 10.º anos de escolaridade; e 30 de junho para a Educação pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico).

Quanto às pausas letivas, a primeira será entre os dias 20 e 31 de dezembro (férias de Natal), a segunda, relativa às férias do Carnaval, regressa ao calendário entre os dias 28 de fevereiro e 2 de março e a última (férias da Páscoa) acontece entre os dias 6 e 18 de abril.

Para os estabelecimentos particulares de ensino especial, o ano letivo começará entre 2 e 7 de setembro e o primeiro período terminará a 29 de dezembro. O segundo período terá início a 3 de janeiro e será concluído a 30 de junho. As pausas letivas, neste caso, serão entre os dias 20 de dezembro e 24 de dezembro; 28 de fevereiro e 2 de março; e entre 11 e 18 de abril.

Saibam ainda as datas das provas de aferição, das provas finais de ciclo e dos exames finais nacionais:

Foto: Diário da República
Foto: Diário da República
Foto: Diário da República
Foto: Diário da República
Foto: Diário da República
Foto: Diário da República
Foto: Diário da República

No âmbito da pandemia decorrente da Covid-19 e ao impacto da doença nos alunos desde o ano letivo 2019/2020, o Governo, “com vista à recuperação das aprendizagens e procurando garantir que ninguém fica para trás, aprovou, através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 90/2021, de 7 de julho, um plano integrado de recuperação das aprendizagens, denominado Plano 21|23 Escola+“, refere o despacho.

Assim, o calendário escolar acolhe a medida prevista no referido Plano 21|23 Escola+, de possibilidade de adoção de uma organização semestral do ano letivo, sendo que esta medida, a par de outras que sejam adotadas, como a realização de semanas ou dias com atividades específicas vocacionadas para o reforço de domínios de intervenção considerados prioritários, “se constitua como uma medida global, promotora da qualidade das aprendizagens e do sucesso de todos os alunos, prosseguindo os objetivos de potenciação de mudança das práticas pedagógicas e de avaliação para as aprendizagens, e ainda de distribuição, de forma mais equilibrada, dos períodos letivos e dos períodos de pausa letiva”.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta