EM TELA: “Years and Years”

Imagem: Joana Aleixo

“Years and Years” vem colocar à prova os nossos próprios preconceitos, ideias preconcebidas, explorando os paradigmas do futuro no “agora”. Comporta esta uma epopeia distópica de 6 episódios, esteticamente organizados entre si, que reflete as repercussões da efusiva evolução da sociedade da (des)informação, marcada pelo colher dos ódios políticos e sociais semeados no século passado, num pequeno núcleo familiar, os Lyons.

Os Lyons são uma progressista e, simultaneamente, tradicional família britânica, composta por 4 irmãos, os seus descendentes e afins, perfeitamente imperfeitos, completamente diferentes e iguais. Foram estes irmãos criados por uma avó, Muriel, uma constante presença que vem pairando ao longo dos episódios e que transmite uma inquietante intermitência nostálgica de um passado que já não volta; e a consequente inevitabilidade de um futuro cada vez menos humanista. Há uma crescente envolvência, ao longo dos episódios, entre espectador e cada um dos elementos de família, transpondo, para fora do ecrã, uma íntima carga emocional, numa avalanche de empatia e outras emoções.

A trama tem começo em 2019 – ano de estreia da série –, com o nascimento do pequeno Lincoln, e vai gradualmente avançando ao longo dos anos até 2032, espelhando, num plano de fundo, o feliz e normal desenvolvimento desta criança, enquanto, paradoxalmente, se assiste à sufocante degradação da sociedade e dos estados de direito.

Esmiúça, de uma forma muito pertinente e pragmática, o emergir de movimentos populistas, racistas, xenófobos, totalitários e antidemocráticos, com um particular enfoque no Reino Unido, mas abordando todo o paradigma mundial.

São muitas as temáticas elencadas ao longo dos episódios, sempre acompanhadas por uma trilha sonora arrepiante. Desde o escalar da agressividade em todo o mundo, o restringir de políticas migratórias, o Brexit, o controlo por parte da Rússia da Ucrânia – como recentemente temos presenciado -, a intensificação do conflito geopolíticos entre a China e os EUA, a polarização e radicalização das políticas europeias, as alterações climáticas, a extinção de inúmeras espécies, o impacto da desinformação, a descontrolada e disruptiva evolução da tecnologia e da Inteligência Artificial, o aumento da precariedade e a consequente normalização da ausência de direitos laborais, entre outros.

Apesar de todo o cenário obscuro, é sobre amor, é sobre família que “Years and Years” fala, trazendo uma lufada de ar fresco e de esperança, numa sociedade em aparente decadência.

A série é original da HBO. Vejam o trailer da primeira temporada aqui:

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta