EXPLICA SAÚDE: Depressão, exercício físico e alimentação

José Ramos, 70 anos, Médico de Família

Ao ler os benefícios da prática de desporto/exercício físico, fiquei a saber que é uma forma eficaz e extremamente eficiente de prevenir e ultrapassar a depressão.

De facto, a depressão é uma doença psíquica que se manifesta de diferentes formas, tais como a falta de apetite, dificuldade em dormir, dores de cabeça, dores musculares e, sobretudo, caracterizada por tristeza.

Efetivamente, a depressão pode tornar-se crónica se não prevenida e tratada.

Criar novos hábitos, tais como efetuar desporto, frequentar aulas de grupo, de hidroginástica, em ginásios ou dança estimulam o contacto com as pessoas, tornando essas atividades físicas agradáveis e, ao mesmo tempo, obrigam a sair, conversar e conviver.

Também passear, telefonar aos amigos e conversar com familiares (lembre-se que eles sentem a sua falta) é importante. Lanchar em casa de um amigo ou mesmo familiares – é uma forma de convívio e esta visita curta poderá fazer bem.

Há que evitar o stress pois é inimigo da sua saúde e do seu bem-estar. Descobrir quais as situações que lhe causam stress, pressão e desconforto e evitá-las. Quando não for possível evitar a pressão e o stress tentar relevá-la e agir de forma a diminuir e controlar o seu impacto pernicioso, mantendo a calma, evitando conflito consigo mesmo e com os outros.

O planeamento das tarefas atempadamente é importante a fim de evitar o surgimento de problemas de última hora.

Associada ao exercício físico, fazer uma alimentação saudável é essencial. De facto, fazer uma alimentação equilibrada e saudável é importante para se ter saúde. O que comemos influência muitíssimo a nossa saúde e o nosso estado de espírito, assumindo um papel fundamental para o bom funcionamento cerebral.

Optar por alimentos que contêm triptofano (que é um aminoácido produtor de serotonina) vai deixar o doente mais bem-disposto e mais bem-humorado e contribui para minimizar os sintomas da depressão.

Deve-se comer peixes como o salmão, sardinha, cavala, atum associados à ingestão de espinafres, repolho, couve, alface, agriões, brócolos e ainda aveia, soja, arroz, pão (preferencialmente integral) e cereais.

Comer ovos, leite e iogurte (magros), fruta da época e uma pequena tablete de chocolate amargo, bem como beber sumos naturais e água podem e devem ser consumidos.

Deve-se descansar e tentar dormir cerca de 8 horas durante a noite e não esquecer, de facto, de cuidar de si, sendo muito importante o seu bem-estar (físico, mental e social), sabendo-se que estar bem aumenta a sua autoestima.

É importante apanhar sol. Saiba que a luz solar atenua os sintomas de depressão (põe as pessoas mais alegres) e, por tal motivo, há que apanhar sol, repondo também os níveis de vitamina D que, segundo alguns investigadores, é extremamente importante e a sua falta aumenta até em 75% a depressão, tendo uma ação antidepressiva nomeadamente em pessoas com mais de 50 anos, tanto em homens como mulheres.

Ir ao cabeleireiro, manicure e fazer compras (tome cuidado com o cartão de crédito!) fará bem à autoestima. Assistir a uma sessão de cinema, fazer pintura, ler ou escrever um livro e ainda ouvir música, mantendo-se ativo/a e fazendo o que mais gosta é importante.

O sucesso do tratamento depressivo depende essencialmente de si.

Seguir as indicações do médico, cumprir rigorosamente o tratamento que o clínico indicou e não esquecer os conselhos:

  • Estar rodeado de familiares e amigos;
  • Fazer uma alimentação saudável;
  • Evitar situações de stress;
  • Fazer desporto;
  • Tomar escrupulosamente (caso necessário) a medicação indicada pelo médico.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta