EXPLICA SAÚDE: Exercício físico e varizes

José Ramos, 70 anos, Médico de Família

As varizes são veias dilatadas e tortuosas e facilmente identificáveis por se localizarem debaixo da pele. Os hábitos de vida podem ser determinantes no seu aparecimento, formam-se geralmente nas pernas, imediatamente por baixo da pele, e, muitas vezes, estando associadas ao sedentarismo, gravidez, antecedentes familiares e excesso de peso.

As varizes são, de facto, uma doença crónica, embora possam aparecer na mulher grávida devido ao aumento da pressão intra-abdominal. Na maioria dos casos, após o parto desaparecem espontaneamente por também ter desaparecido a causa com o nascimento do bebé.

Estima-se que, em Portugal, cerca de 25% a 30% da população sofra de doença venosa. Esta doença tem maior incidência nas mulheres, devido à importante componente hormonal e a multiparidade.

Há outras causas que facilitam a formação de varizes. A idade, a fraqueza congénita das paredes das veias, que as tornam dilatáveis pela pressão do sangue, e ainda outros fatores como a exposição ao calor do sol/aquecedores, sedentarismo, excesso de peso e permanecer excessivamente parado e de pé.

A dor (indubitavelmente a principal queixa) pode manifestar-se através da sensação de pernas pesadas e cansadas, cãibras, dormência e prurido.

Em muitos casos, encontra-se edema (inchaço), sobretudo nos tornozelos e pés, que aumentam no final do dia e principalmente, quando ocorre uma exposição prolongada ao calor.

O diagnóstico de varizes pode ser efetuado por um médico especialista, mas também pelo médico de família. É essencialmente clínico, confirmando-se com o exame ecodopler venoso e ainda com a realização de testes para avaliar o grau de comprometimento e quais as veias afetadas.

Por vezes, as varizes podem tornar-se graves quando surgem alterações na cor e consistência da pele e esta se torna acastanhada, descamativa e endurecida – estes podem ser os sinais precursores de uma úlcera varicosa, situação clínica incapacitante, de difícil tratamento e com impacto significativo na imagem e autoestima do doente.

Também pode ocorrer trombose venosa superficial e/ou profunda também conhecida por TVP. A trombose venosa ou flebotrombose ou tromboflebite caracteriza-se pela presença de um volumoso coágulo fixado na parede interior da veia. Este trombo/coágulo, além de bloquear a circulação venosa, pode libertar-se e provocar uma embolia num órgão como os pulmões, daí a importância de se fazer o diagnóstico e tratamento o mais rapidamente possível sob pena de ocasionar a morte. Na maioria dos casos, ocorre na região inferior das pernas, mas também podem aparecer nas coxas, nádegas ou pélvis, embora também possa ocorrer noutras áreas incluindo os braços, cérebro, intestino, fígado e rins.

Na prevenção da doença venosa e da TVP (que deve ser tratada como uma doença crónica), há que ter em atenção as seguintes medidas:

  1. Não tome banho com água muito quente;
  2. Evite o excesso de peso, tabaco e bebidas alcoólicas;
  3. Evite a exposição prolongada ao sol. Na praia, caminhe à beira-mar;
  4. Nos dias mais quentes, faça massagem nas pernas com água fria, utilizando o chuveiro, de baixo para cima, durante cerca de dois a cinco minutos;
  5. Não esteja muito tempo de pé e parado. Caminhe ou ponha-se em bicos de pés diversas vezes;
  6. Evite também estar muito tempo sentado, nomeadamente com as pernas cruzadas, e faça movimentos nos membros e dedos dos pés com regularidade;
  7. Hidrate o corpo diariamente com óleos e cremes, nomeadamente após o banho;
  8. Não use calças, nomeadamente as de ganga muito justas, ligas, cintas e meias que sejam muito apertadas na zona dos tornozelos ou botas apertadas e ainda evite andar com calçado de salto alto muitas horas seguidas.

A pressão externa nas pernas reduz a acumulação de sangue nas veias e daí ser importante usar meias de compressão venosa.

Relativamente ao tratamento das varizes, poderá, nos casos menos graves, ser tratamento medicamentoso, por exemplo, tomar um comprimido de castanha da índia (esta planta medicinal melhora a circulação sanguínea, sendo uma boa opção de tratamento), utilizar cremes e massagem, devendo estes tratamentos ser prescritos pelo médico de família. Nos casos mais graves, o tratamento poderá ser efetuado com laser isoladamente ou associado a escleroterapia e ainda poderá haver necessidade de se fazer a tradicional cirurgia, efetuada nos casos mais graves pelos médicos de cirurgia vascular.

Estes procedimentos são aplicados pelos médicos especialistas em cirurgia vascular em conformidade com a patologia varicosa dos doentes.

Quanto ao exercício físico, os médicos e os personal trainers (PT) são unânimes no seu aconselhamento (sobretudo, se efetuado regularmente) ajuda, de facto, na prevenção, mas também no tratamento das varizes.

A prática do ciclismo ou spinning, a natação e ainda movimentos, tais como girar os tornozelos e balançar dos pés para frente e para trás no chão (essa atividade simples aumenta o fluxo sanguíneo e reduz o risco de coagulação), caminhar durante cerca de 30 minutos em passo acelerado também é ótimo depois de um dia sentado.

Tente emagrecer com exercícios físicos adequados – há alguns exercícios e desportos que agravam as varizes (o seu PT poderá indicar-lhe os exercícios mais eficazes para emagrecer e para minimizar os danos da doença venosa).

Por fim, faça uma dieta equilibrada evitando o sal e as gorduras.

Todas estas medidas são úteis na prevenção e tratamento da doença varicosa.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta