DGS lançou novas orientações para a restauração

Foto: Des Récits/Unsplash

As novas orientações da DGS têm como objetivo garantir uma maior segurança para todos aqueles que frequentam e trabalham em cafés e restaurantes.

Desta forma a Direção-Geral da Saúde pede para que só as pessoas que vivam juntas estejam a menos de dois metros nos espaços interiores e que as pessoas se sentem à mesa na diagonal e não frente a frente.

Como refere o comunicado da DGS, “a disposição dos lugares em diagonal pode facilitar a manutenção da distância de segurança; os coabitantes podem sentar-se frente a frente ou lado a lado a uma distância inferior a dois metros”

Quanto à disposição das cadeiras e mesas no interior do estabelecimento, as mesmas têm de “garantir uma distância de, pelo menos, dois metros entre as pessoas não coabitantes e, no corredor, entre mesas, uma distância de, pelo menos, dois metros”, pode ainda ler-se. Já no exterior “a disposição das cadeiras e mesas (…) tem de garantir uma distância de, pelo menos, dois metros entre as pessoas não coabitantes e, no corredor, entre mesas, uma distância de, pelo menos, 1,5 metros”.

O comunicado refere também para que impeçam os clientes de modificar a orientação das mesas e das cadeiras,
“permitindo que os colaboradores o façam, sempre dentro das recomendações vigentes”. Já os lugares de pé – tal como os buffets e dispensadores de comida – são desaconselhados, “pela dificuldade de garantir o distanciamento físico”.

É pedido, ainda, expressamente aos restaurantes que garantam a distâncias nas filas de espera ou pagamentos no balcão e para que criem “circuitos” para manter o distanciamento “entre as pessoas que circulam e as que estão sentadas”.

Sempre que possível, a DGS aconselha à marcação prévia, por parte dos clientes, para a reserva dos lugares.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta