Já estão escolhidos os projetistas para a nova ponte sobre o Rio Douro

Foto: Ana Regina Ramos

Já foram escolhidos os projetistas para a execução da nova ponte sobre o Rio Douro, entre as cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia, anunciados numa cerimónia que decorreu nas instalações da Metro do Porto, na presença do ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, e dos presidentes das câmaras municipais do Porto e de Vila Nova de Gaia, Rui Moreira e Eduardo Vítor Rodrigues.

As candidaturas selecionadas na primeira fase do Concurso Público Internacional de Concessão para Elaboração dos Projectos de Execução da Ponte sobre o Rio Douro foram: Prof. Edgar Cardoso – Engenharia e Laboratório de Estruturas, Lda; Coba – Consultores de Engenharia e Ambiente, S.A.; Betar Consultores.

O projeto da Prof. Edgar Cardoso – Engenharia e Laboratório de Estruturas, primeiro classificado nesta fase, apresentou uma estimativa orçamental para a realização da empreitada no valor de 50,5 milhões de euros. A proposta consiste na construção de uma ponte com um pórtico com escoras inclinadas, feita integralmente à base de betão e com um perfil longitudinal a uma altura superior à da Ponte da Arrábida, de modo a não constituir um obstáculo visual.

A Coba Consultores, que ficou no segundo lugar, deu a conhecer uma solução que passa pela construção de um arco com pilares metálicos, com uma extensão total de 190 metros de comprimento e um custo estimado para a consecução deste projeto de 62,8 milhões de euros.

No terceiro posto, a proposta da Betar Consultores reside na construção de um pórtico de pilares inclinados e assimétricos nas margens, sendo o tabuleiro construído num misto de betão e aço. O valor estimado de toda esta obra será de 69,2 milhões de euros.

No total, foram recebidos 28 projetos diferentes e a adjudicação da proposta final, entre as três já anunciadas, será conhecida no dia 7 de dezembro, informa um comunicado da Metro do Porto. Tiago Braga, presidente do Conselho de Administração da Metro do Porto, explicou que serão feitos os convites às três entidades vencedoras para apresentação das respetivas propostas no dia 3 de novembro e, depois, a 18 de novembro, serão entregues as referidas propostas e, finalmente, no dia 30 do mesmo mês será publicado o relatório de avaliação do júri.

A proposta escolhida “terá de estar em execução o mais rapidamente possível, de modo a que a 31 de dezembro de 2025 tenhamos a estrutura em funcionamento”. Tiago Braga acrescentou ainda que os critérios de seleção para a adjudicação obedecem a três parâmetros concretos: a qualidade do trabalho de conceção (50%); o preço (20%), que terá de ficar sempre abaixo dos 70 milhões de euros; e o prazo de execução dos trabalhos (30%).

“Hoje é um dia muito importante para o Porto e para Gaia. Este foi o mais desafiante concurso de pontes que houve no mundo e vamos ter uma magnífica ponte”, afirmou João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Ação Climática.

“Todas estas propostas me parecem adequadas em relação à expectativa que têm as nossas populações relativamente a uma ponte que é mais do que uma ponte”, assinalou Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto. “Qualquer uma das soluções mantém a tradição de termos sobre o Rio Douro não pontes, mas verdadeiras e icónicas obras de arte que valorizam as duas cidades”, salientou Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da autarquia de Vila Nova de Gaia.

A ponte a desenvolver vai ligar o Campo Alegre, no Porto, ao Candal, em Gaia, sendo parte obrigatória de uma nova linha de Metro que, por seu turno, ligará as estações da Casa da Música e de Santo Ovídeo. Tanto a ponte como a linha serão financiadas pelos fundos previstos no PRR (Plano de Recuperação e Resiliência).

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta