Máscaras. O que se sabe sobre elas até agora?

Foto: Noah Syed/Unsplash

As máscaras são o novo acessório que entrou nas rotinas de todos os portugueses (e não só), nos últimos tempos, como forma de proteção face à pandemia da doença Covid-19. Mas será que todos sabem como utilizá-las e as suas características? O Jornal Referência reuniu algumas informações sobre o tema com base na Direção-Geral da Saúde.

Quais os procedimentos a ter ao colocar uma máscara?

  • Lavar bem as mãos antes de colocar a máscara;
  • No caso das máscaras cirúrgicas, colocar a máscara com o lado branco (face interna) virado para a cara, o lado com outra cor (face externa) virado para fora e a parte com arame para cima;
  • Colocar a máscara pelos atilhos/elásticos;
  • Verificar se a máscara está bem ajustada ao rosto, do nariz até abaixo do queixo;
  • Não usar a máscara com o nariz ou a boca desprotegidos.

O que fazer ou não durante a utilização de uma máscara?

  • Evitar tocar nos olhos, face ou máscara (caso aconteça, lavar as mãos de seguida);
  • Não retirar a máscara para tossir ou espirrar;
  • Trocar a máscara se estiver suja ou húmida – em média, as pessoas devem mudar de máscara de quatro em quatro horas ou de seis em seis horas, conforme a humidade produzida para a máscara por cada indivíduo.

Quais os cuidados a ter na remoção de uma máscara?

  • Lavar as mãos antes de remover a máscara;
  • Deve ser removida a partir da parte de trás, não tocando na frente da máscara e segurando nos atilhos ou elásticos;
  • Deve ser descartada para um contentor de resíduos;
  • Voltar a lavar as mãos.
Imagem: Direção-Geral da Saúde

Em que situações é obrigatório o uso de máscara?

  • O Governo decretou obrigatório o uso de máscaras por todas as pessoas que permaneçam ou acedam a espaços interiores fechados com várias pessoas (estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, serviços e edifícios de atendimento ao público, estabelecimentos de ensino e creches) e que utilizem os transportes públicos;
  • Todas as pessoas incluídas nos grupos de risco para o Covid-19 (com mais de 65 anos, com doenças crónicas e com compromisso do sistema imunitário – a fazer tratamentos de quimioterapia, tratamentos para doenças autoimunes, infeção VIH/sida, ou doentes transplantados) são consideradas mais vulneráveis e devem usar máscara cirúrgica sempre que saiam de casa;
  • Também aos profissionais de saúde, pessoas com sintomas respiratórios, pessoas que entrem e circulem em instituições de saúde, elementos de alguns grupos profissionais, como das forças de segurança e militares, bombeiros, distribuidores de bens essenciais ao domicílio, trabalhadores de lares, de IPSS, de unidades de cuidados continuados integrados, agentes funerários e profissionais que façam atendimento ao público onde não sejam possíveis outras medidas de isolamento é recomendado o uso de máscaras cirúrgicas (acompanhadas de outros equipamentos de proteção individual, em alguns casos);
  • O uso de máscara é uma medida de proteção adicional ao distanciamento social, à higiene das mãos e à etiqueta respiratória (espirrar e tossir para o antebraço).

Quais os tipos de máscaras que existem?

Foto: Engin Akyurt/Unsplash
  • Respiradores (Filtering Face Piece, FFP): são um equipamento de proteção individual destinado aos profissionais de saúde;
  • Máscaras cirúrgicas: são um dispositivo que previne a transmissão de agentes infecciosos das pessoas que utilizam a máscara para as restantes;
  • Máscaras não-cirúrgicas (comunitárias ou de uso social): são dispositivos de diferentes materiais têxteis, destinados à população geral.
Foto: Kelly Sikkema/Unsplash

Quais os cuidados a ter com as máscaras reutilizáveis?

  • Manter e transportar as máscaras em invólucro fechado, respirável, limpo e seco;
  • No caso das máscaras comunitárias, deve ser confirmado se são certificadas;
  • Lavar e secar, após cada utilização, seguindo as indicações do fabricante;
  • Verificar nas indicações do fabricante o número máximo de utilizações.

Outras informações:

  • A viseira não substitui a máscara: A máscara é o dispositivo que permite tapar a boca e o nariz (método de barreira) protegendo as gotículas que são expelidas através do espirro, tosse ou fala. A viseira pode ser utilizada, mas sempre como complemento à máscara.
  • O uso de luvas na rua não é eficaz: Se forem usadas de forma errada, as luvas podem transmitir o vírus, em vez de serem um meio de proteção. O mais importante para evitar a transmissão do vírus é lavar as mãos com frequência e sempre que estiverem sujas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta