Chaves quer criar maior rede urbana de energia geotérmica de Portugal Continental

Foto: Câmara Municipal de Chaves

Chaves quer criar a maior rede urbana de energia geotérmica de Portugal Continental através de um projeto piloto. O contrato de incentivo financeiro foi assinado na sexta-feira.

A informação foi avançada pela autarquia de Chaves que, em comunicado, refere que o projeto, com o prazo de execução de um ano, vai abranger, “numa primeira fase, um total de 24 edifícios a beneficiarem de uma fonte de energia renovável e limpa”. O município vai aproveitar o potencial geotérmico das águas termais, resultante da elevada temperatura das águas termais do território, para criar uma rede urbana de distribuição de calor, que permitirá climatizar mais 19 novos edifícios públicos e privados.

O Contrato de Incentivo Financeiro para a Promoção da utilização da energia geotérmica foi assinado na sexta-feira e contou com a presença do secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba, e com a visita aos locais de captação da água termal e ao sistema de aproveitamento geotérmico do Hotel IBIS Styles, que constitui a mais recente ligação à atual rede geotérmica.

Foto: Câmara Municipal de Chaves

“Precisamos de criar territórios mais sustentáveis nas dimensões económica, ambiental e demográfica”, salientou o presidente da Câmara Municipal de Chaves, Nuno Vaz Ribeiro.

Ainda segundo o documento, João Galamba afirmou que o Governo terá todo o interesse em expandir esta rede, podendo eventualmente ser equacionado o seu alargamento a privados, de forma a valorizar o recurso da água. “Chaves dá o seu melhor contributo, na medida das suas capacidades. O projeto nacional não avança se todos os territórios não derem os seus contributos. O país precisa de todos”, acrescentou.

“Este projeto sustentável contribuirá consideravelmente para a redução da pegada de carbono, com uma poupança estimada de 1330 toneladas/ano de dióxido de carbono, fomentando assim a descarbonização através de uma solução inteligente que aumente a eficiência e reduza o consumo de energia”, aponta o comunicado, que sublinha que o projeto tem um valor de 850 mil euros, comparticipado em cerca de 80 por cento por um fundo de apoio à inovação.

Em Chaves, o recurso à energia geotérmica é utilizado em cinco equipamentos: No complexo termal, na Piscina Municipal, em duas unidades hoteleiras e num centro geriátrico da cidade.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta